Ministro do Turismo é exonerado por Bolsonaro para assumir mandato

Por Estadão Conteúdo com Metro Jornal

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi exonerado do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. O decreto com o desligamento do ministro foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 6, com data da véspera. Antônio, cujo nome de batismo é Marcelo Henrique Teixeira Dias, foi reeleito deputado federal pelo PSL de Minas Gerais no ano passado, com a maior votação do Estado: 230.008 votos.

No Twitter, o político justificou que toma posse nesta quarta na Câmara dos Deputados, o que justificaria o afastamento temporário. Ele afirma que volta a integrar a equipe do governo a partir de quinta (7).

O Ministério do Turismo confirmou, em nota, a informação. "O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi exonerado no Diário Oficial da União hoje (06) para tomar posse na Câmara dos Deputados. O ato de exoneração assinado junto com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, é mera formalidade. Como já confirmaram fontes da Casa Civil, amanhã o ministro retorna ao Ministério do Turismo para dar continuidade ao trabalho."

Ministro Turismo exonerado

Sob pressão

Antônio está sob pressão desde segunda-feira, quando uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou que ele supostamente participou de um esquema de lançamento de candidatas laranja com o objetivo de desviar recursos eleitorais do Fundo Partidário e beneficiar empresas relacionadas ao seu gabinete.

Leia mais:
Greve de servidores municipais tem adesão de outros setores em São Paulo
Idec cobra medidas da Aneel após apagão na Grande São Paulo

No dia 1º, Bolsonaro exonerou temporariamente três ministros que possuem mandato na Câmara para que votassem na eleição à presidência da Casa: Onyx Lorenzoni (DEM-RS), da Casa Civil, Tereza Cristina (DEM-MS), da Agricultura, e Osmar Terra (MDB-RS), da Cidadania. Imediatamente após a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) ao comando da Câmara, os ministros foram reconduzidos a seus cargos. O ministro do Turismo, no entanto, não foi envolvido na operação.

Em sua conta no Twitter, Antônio afirmou, na segunda-feira, que foi "alvo de uma matéria que deturpa os fatos e traz denúncias vazias". "Reforço que a distribuição do Fundo Partidário do PSL cumpriu rigorosamente o que determina a lei. Todas as contratações da minha campanha foram aprovadas pela Justiça Eleitoral", acrescentou.

*Nota atualizada após posicionamento de Marcelo Álvaro Antônio nas redes sociais.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo