Câmara Municipal pode ter comissões para avaliar barragens de São Paulo

Por Metro Jornal

A Câmara Municipal de São Paulo pode ter comissões para verificar a situação das duas barragens da cidade de São Paulo.

O pedido é do vereador Fábio Riva (PSDB), que apresentou requerimentos para que o legislativo municipal fique de olho nisso.

As barragens, localizadas em Perus, zona norte da capital, são da iniciativa privada. A Pedreira Juruaçu é administrada pela Embu Engenharia; já a barragem da Clarificação fica a cargo da Territorial São Paulo. Elas concentram rejeitos de mineração de brita e areia.

Um dos documentos apresentados pelo vereador pede a criação de uma Comissão de Estudos, que levaria para dentro da Câmara a discussão da segurança da população que reside no entorno desses locais. A ideia seria ouvir técnicos e cobrar os órgãos responsáveis pelas barragens.

Riva quer ainda a formação de uma Comissão de Representação. Nesse caso, a Câmara teria um representante, dentre os vereadores, para acompanhar de perto o trabalho de vistoria do Ministério Público e da Prefeitura.

Leia mais:
Instituto Inhotim reabre no sábado com entrada gratuita e homenagem a Brumadinho
Seis pessoas foram presas por saque, estelionato e outros crimes durante resgates em Brumadinho

Com todos os holofotes em cima dos órgãos públicos após a tragédia de Brumadinho, a Câmara Municipal promete um estudo sobre a situação das barragens da capital.

Os vereadores afirmam, inclusive, que muitos moradores da região de Perus sequer sabiam que há duas barragens por lá.

Em nota divulgada à imprensa, a Embu garante que a barragem da Pedreira Juruaçu é segura e estável. A empresa diz também que o fator de segurança da barragem está acima do recomendado pelas normas.

Mariana em São Paulo?

Em 2017, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF/SP) entrou com uma ação para aumentar a segurança das Barragens paulistanas. Segundo o MPF, a Juruaçu podia ser considerada de dano potencial alto – comparada até à barragem de Fundão, de Mariana.

Sobre a ação, a Embu esclarece que cumpriu as exigências da Agência Nacional de Mineração. De acordo com a empresa, os padrões de segurança já foram estabelecidos.

A barragem Clarificação, por sua vez, foi classificada pelo MPF como de dano potencial baixo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo