Prefeitura interdita marquise do Parque Ibirapuera por problemas no gesso

Por Metro Jornal

A Prefeitura de São Paulo interditou, nesta terça-feira (5), trechos da marquise do Parque Ibirapuera.

A medida foi tomada após uma vistoria constatar danos na laje de gesso. Segundo a gestão municipal, os problemas envolvem impermeabilização, infiltrações, pontos de segregação do concreto e corrosão da armadura.

Por conta dos estragos, as lajes da marquise serão reformadas. A prefeitura diz ainda que os pilares e vigas, apesar de não apresentarem falhas estruturais, também vão receber reparos.

As obras ficarão a cargo das secretarias de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) e Verde e Meio Ambiente (SVMA). Ainda não há estimativas de custo nem prazo definido para o término da reforma.

LEIA MAIS:
Trens do monotrilho colidiram por falha humana, diz laudo do Metrô
Cratera se abre e engole carros de estacionamento na zona norte

A marquise

A estrutura, geralmente repleta de skates e patins, tem 620 metros de comprimento e largura variando entre 15 e 80 metros. Ela ocupa uma área total de 28.800 m².

Projetada por Oscar Niemeyer, a marquise faz parte do núcleo central do Ibirapuera, ligando o Museu Afro Brasil, a OCA, o Pavilhão das Culturas e a Bienal.

Em novembro de 2017, parte do teto da marquise caiu. Apesar de o incidente ter ocorrido num dia de parque cheio, ninguém ficou ferido.

Na época, o então prefeito João Doria disse que toda a estrutura seria revisada.

Tombamento

O Parque Ibirapuera é tombado e considerado patrimônio histórico de São Paulo. Por conta disso, qualquer reforma precisa seguir uma série de regras e restrições antes de acontecer.

A prefeitura informa que, no caso das obras na marquise, as secretarias responsáveis vão solicitar autorização dos órgãos de tombamento responsáveis.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo