Em Abu Dhabi, Papa Francisco defende 'única família humana'

Por Metro Jornal

Em um dos momentos mais aguardados da inédita visita aos Emirados Árabes Unidos, o papa Francisco fez ontem um apelo para que as religiões do mundo todo se unam para promover a paz e para acabar com violências em nome de Deus. Diante de mais de 700 líderes religiosos, Jorge Mario Bergoglio discursou em Abu Dhabi no encontro “Fraternidade Humana”, promovido pelo Conselho Muçulmano de Anciãos.

“Com ânimo reconhecido pelo Senhor, no 8º centenário do encontro entre São Francisco de Assis e o sultão Al-Malik al-Kamil, aceitei a oportunidade de vir aqui como crente sedento de paz, como irmão que procura a paz entre os irmãos. Querer a paz, desejar a paz, ser instrumento de paz: estamos aqui para isso”, disse Francisco, explicando sua visita aos Emirados Árabes Unidos.

De acordo com o líder católico, o “ponto de partida” para a promoção da paz mundial seria reconhecer que Deus é a origem da “única família humana”. “Todos têm dignidade igual e ninguém pode ser patrão ou escravo dos outros”, afirmou Francisco. “Não existe violência que possa ser religiosamente justificada.” Ao fim do discurso, Francisco assinou o documento conjunto do encontro.

A cúpula inter-religiosa era o principal evento da viagem do papa aos Emirados Árabes Unidos, visita que carrega um simbolismo extra por ser a primeira vez que um pontífice pisa na península arábica. Pela manhã, Francisco visitou a grande mesquita do Sheik Zayed, onde se reuniu de maneira privada com membros do Conselho Muçulmano de Anciãos, presidido pelo grande imã de Al-Azhar, Ahmed El-Tayyeb.

O papa chegou no último domingo a Abu Dhabi e ontem cumpriu sua primeira agenda oficial. Hoje, Francisco celebrará uma missa para cerca de 130 mil pessoas no estádio Zayed Sports City, antes de retornar para Roma.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo