Bíblia pode se tornar patrimônio nacional; projeto é de deputado 'ex-gay'

Por Estadão Conteúdo

 

Evangélico e com origem na Polícia Militar, o deputado Pastor Sargento Isidório (Avante-BA) foi o primeiro parlamentar a protocolar um projeto da nova Legislatura na Câmara.

O tema? "Declarar a Bíblia Sagrada como patrimônio nacional, cultural e imaterial do Brasil". Ele disse que "a palavra de Deus" o ajudou a deixar de ser homossexual. "Como ex-gay, posso dizer: eu sou curado", afirmou.

O parlamentar havia sido o segundo a chegar à seção de protocolo da Câmara nesta segunda-feira (4). A ideia de homenagear a Bíblia sensibilizou a primeira da fila, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que deu a vez ao colega.

Leia mais:

Rodrigo Maia é reeleito presidente da Câmara dos Deputados
Major Olímpio pede continuidade na investigação de fraude nas votações do Senado

Essa não foi a única proposta elaborada pelo deputado, que propôs ainda "proibir o uso do nome e/ou título Bíblia ou Bíblia Sagrada em qualquer publicação impressa e/ou eletrônica com conteúdo (livros, capítulos e versículos) diferente do já consagrado há milênios pelas diversas religiões cristãs".

Ao todo, 415 propostas foram protocoladas nesta segunda-feira.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo