Tribunal tenta conter possível greve dos metroviários com liminar; entenda

Por Metro Jornal

ATUALIZAÇÃO:

 

O TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região) concedeu nesta segunda-feira (4) uma liminar que estabelece regras aos metroviários, caso decidam pela paralisação a partir desta terça-feira (5). Os funcionários do Metrô de São Paulo fazem assembleia desde às 18h30 para decidir ou não pela greve.

De acordo com o tribunal, a decisão foi tomada no fim da reunião com representantes do sindicato da categoria e do Metrô, sem consenso entre as partes. O desembargador Fernando Álvaro Pinheiro determinou que os funcionários mantenham 80% do sistema em funcionamento nos horários de pico – das 6h às 9h e das 16h às 19h. Para os demais horários, a demanda é que ao menos 60% dos serviços operem normalmente.

Leia mais:
Metrô: funcionários decidem na noite desta segunda sobre greve
Previsão do tempo: frente fria continua, com tempo ameno e chuva em São Paulo

Caso descumpram a liminar, os metroviários estão sujeitos a multa de R$ 350 mil por dia. Oficiais de Justiça acompanharão os trabalhos para verificar o cumprimento dos percentuais nos horários estabelecidos.

“O motivo da liminar é buscar o equilíbrio sem negar o exercício do direito de greve. E ao mesmo tempo não permitir que o conflito entre empresa e sindicato penalize ainda mais a população, tão dependente desse importante meio de transporte público”, afirmou o desembargador Fernando Álvaro Pinheiro, em nota.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo