Brumadinho: Cachorros auxiliam bombeiros nas buscas

Por Pedro Nascimento/Metro BH

Desde a última sexta-feira, a rotina dos Bombeiros de Minas Gerais tem sido entrar na lama formada em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, para tentar encontrar corpos ou restos mortais das pessoas que foram atingidas pelo rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, da mineradora Vale. E com a lama um pouco mais seca, essa tarefa recebeu um importantes apoio – os cães farejadores da corporação. Com o auxílio deles, os bombeiros chegaram ontem ao número de 99 corpos retirados dos rejeitos – 259 pessoas permanecem desaparecidas e outras 393 foram localizadas. Ninguém é resgatado com vida desde o último sábado, um dia depois do rompimento da barragem.

Pelas dificuldades de locomoção e o forte mau cheiro na região, o papel dos cães é considerado fundamental nas buscas. “Tem ajudado muito o trabalho dos cães farejadores, eles também trabalham de forma incansável localizando odores desses corpos. Os bombeiros abrem caminho para que esses cães circulem no local, cavando uma espécie de túnel para que os cachorros possam entrar, farejar algum vestígio, alguma pista de algum corpo”, explicou o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

O trabalho dos cães, contudo, depende das condições da lama. Ontem, em boa parte do dia os rejeitos estavam secos, mas por volta das 17h uma forte chuva – inclusive com granizo – voltou a deixar o terreno molhado, com aspecto movediço.

Além dos cães de Minas Gerais, há equipes de bombeiros e animais de outros Estados e de Israel.

6º dia de buscas

Ao longo do dia de ontem, o Corpo de Bombeiros concentrou as buscas na região onde ficava o refeitório dos funcionários da Vale, local onde havia o maior número de pessoas no momento da tragédia. Até agora, foram retirados 10 corpos dessa região.

No fim da tarde, o tenente Pedro Aihara, do Corpo de Bombeiros, explicou que 18 áreas quentes em Brumadinho estão sendo cobertas pelas equipes. Os trabalhos de busca ontem ainda foram interrompidos entre 14h e 15h para a realização do velório de uma criança no cemitério da cidade. A cerimônia ocorreu ao lado da igreja que fica perto da área de pouso dos helicópteros.

A partir de hoje, o trabalho em terra será reforçado por 58 voluntários, que vão caminhar pela mata nos arredores da lama da Vale.

Equipe resgata 36 animais em Brumadinho

Pelo menos 36 animais já foram resgatados da lama em Brumadinho, conforme números da equipe de voluntários coordenados pela CRMV-MG (Conselho Regional de Medicina Veterinária). Eles estão sendo levados para uma fazenda que fica nas proximidades, onde passam por triagem e recebem os primeiros tratamentos.

Conforme o órgão, 30 profissionais, entre veterinários, zootecnistas e voluntários, participam dos resgates. “Alguns animais chegam machucados, lameados. Temos um aqui, por exemplo, com suspeita de luxação, mas nós estamos com todo o aparato necessário para realizar os atendimentos”, afirma Ana Liz Bastos, presidente da Comissão Bem-estar Animal do CRMV-MG.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo