Brumadinho: Advogados abrem ação contra Vale em Nova York por perdas

Por Metro Jornal

Um escritório de advocacia entrou com ação contra a Vale e executivos da companhia nos Estados Unidos por perdas financeiras após o rompimento de uma barragem da empresa em Brumadinho (MG) na semana passada.

A ação foi ajuizada no distrito de Brooklyn, Nova York, na noite de segunda-feira (28), mesmo dia em que as ações da mineradora desabaram 24,5% na Bolsa brasileira, o que representou uma perda de mais de R$ 70 bilhões em valor de mercado.

Em petição em nome de Bryan Rauch, o escritório The Rosen Law Firm pediu que o processo seja declarado uma “class action” e que a firma de advocacia possa liderar a ação em nome de outros investidores que se sentirem lesados.

A ação pretende representar pessoas ou instituições que compraram valores mobiliários da Vale entre 13 de abril de 2018 e 28 de janeiro deste ano.

São alvos do processo tanto a Vale quanto o presidente-executivo da companhia, Fabio Schvarstman, e o diretor financeiro, Luciano Siani.

“Como resultado de atos ilícitos e omissões dos réus, e da queda abrupta no valor de mercado das ações ordinárias da companhia, o autor e outros membros da classe sofreram perdas e danos significativos”, alegaram os advogados.

A ação tem como base declarações da Vale à reguladora norte-americana, a SEC, apresentados em 2017 e 2018, nos quais a empresa afirmou que monitora e inspeciona suas barragens. Também foram levadas em conta em declarações da Vale após o rompimento da barragem em Mariana (MG) em 2015, quando a mineradora disse que tomaria medidas para que um desastre como aquele nunca mais acontecesse.

Outro escritório de Nova York, o Bronstein, Gewirtz & Grossman, também pretende abrir uma  ação coletiva para investigar se a Vale e seus diretores violaram leis federais de valores mobiliários. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo