Autoridades alertam para golpes e fake news sobre tragédia em Brumadinho

Por Metro Jornal com BandNews FM

Autoridades que atuam no Centro de Comando criado para gerenciar as ações envolvendo a tragédia de Brumadinho alertam para a atuação de estelionatários.

Desde sexta-feira (25), diversas fake news circulam pelas redes sociais sobre a tragédia. O temor é de que, nesse contexto, os boatos sejam usados como golpes. Dados de contas bancárias que supostamente receberiam dinheiro para as vítimas do rompimento da barragem têm sido veiculados na internet, mas são falsos.

A polícia reforça que não há nenhuma ação nesse sentido e que a população deve desconfiar de pedidos como esse, especialmente quando envolver depósitos em dinheiro.

O coordenador-adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, reitera também que as doações de mantimentos estão suspensas no momento. Todo o material recebido até agora pelo órgão é suficiente.

Leia mais:
Operação prende cinco engenheiros responsáveis por barragem de Brumadinho que cedeu
Brumadinho: Doações arrecadadas para vítimas são suficientes

Ataque terrorista

Uma outra notícia falsa que invadiu o WhatsApp no final de semana associava o desastre em Minas Gerais a um ataque terrorista. Segundo o boato, a Polícia Federal teria prendido, na cidade de Itaguará, um venezuelano e um cubano responsáveis por supostos atentados no país.

A fake news dizia ainda que o venezuelano tinha ligação com as FARC. Já o cubano seria um instrutor da polícia secreta de Fidel Castro. Os dois fariam parte de uma célula terrorista instalada no Brasil para sabotar os planos econômicos de Paulo Guedes e do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em nota, a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), do governo federal, assegurou que o rumor é falso. A ABIN garantiu ainda que não recebeu qualquer relato sobre prisões de qualquer venezuelano ou cubano na região.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo