Sem interessados, prefeitura reduz valor mínimo de patrocínio para o Carnaval de rua de São Paulo

Por Metro Jornal

Sem um interessado na primeira chamada, a Prefeitura de São Paulo baixou de R$ 19,5 milhões para R$ 15 milhões o valor mínimo para quem quiser patrocinar o Carnaval de rua de São Paulo. O novo edital deve ser aberto no dia 6 de fevereiro.

Nesse novo processo, a prefeitura se coloca como a organizadora do evento, por meio da Secretaria de Subprefeituras, oferecendo a infraestrutura de saúde, banheiros químicos, segurança, limpeza, além de colaboradores para o trabalho de staff. A verba a ser obtida com o patrocínio deve ser para pagar esses serviços.

O vencedor do pregão será aquele que oferecer o maior valor. Quem vencer poderá exibir sua marca em banners nos banheiros químicos, nos paineis de programação, além de ter a exclusividade de venda de produtos de sua marca nos eventos.

Leia mais:
Bancos abrem contas de doação para Brumadinho; veja como ajudar
Obra em ponte na marginal Tietê não tem prazo

O valor mínimo do novo edital é igual ao pago em 2018. Em entrevista à “Folha de S.Paulo”, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que, se não houver interessados novamente, a prefeitura bancará a realização do evento.

Vencedora do ano passado, a Dream Factory, enfrentou problemas. O principal foi a morte do estudante Lucas Antônio Lacerda Silva, 22 anos, eletrocutado na rua da Consolação ao encostar em um poste de semáforo usado como fonte de energia para uma câmera de monitoramento, uma instalação feita por uma contratada da empresa.

A folia deste ano

A prefeitura estima de 5 milhões de pessoas participem dos 720 desfiles em quase 570 blocos. Os desfiles começam no período de pré-Carnaval (23 e 24 de fevereiro) e vão até o fim de semana de 9 e 10 de março.

Neste ano, novas vias foram inseridas no roteiro, como as avenidas Tiradentes (centro), Marquês de São Vicente (zona oeste) e Luís Carlos Berrini (zona sul).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo