Bolsonaro passa por nova cirurgia após atentado sofrido durante as eleições

Por Metro São Paulo e Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) passa na manhã desta segunda-feira (28) por uma cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal no hospital Albert Einstein, em São Paulo. A cirurgia deve durar de três a quatro horas e ser feita com anestesia-geral.

O procedimento foi confirmado depois de ele ser submetido a exames laboratoriais e de imagem, com resultados normais, de acordo com boletim médico divulgado na tarde de domingo (27) pelo hospital. O documento é assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, cirurgião, e Leandro Echenique, clínico e cardiologista, que atendem o presidente, e pelo diretor superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo.

Bolsonaro chegou a São Paulo na manhã de ontem e deu entrada no hospital às 10h33. À tarde, ele divulgou vídeo em redes sociais já com a roupa de paciente do hospital em que agradeceu as orações.

Desde a facada que levou em setembro do ano passado, durante a campanha presidencial, Bolsonaro estava com colostomia –o intestino estava exteriorizado pela parede abdominal– com uma bolsa coletora.

Leia mais:
Bancos abrem contas de doação para Brumadinho; veja como ajudar
Sem interessados, prefeitura reduz valor mínimo de patrocínio para o Carnaval de rua de São Paulo

Essa é a terceira cirurgia a que o presidente se submete desde o ataque. Logo depois da facada, em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro foi operado de emergência para conter a hemorragia e feita a colostomia, pois o intestino havia sido atingido. Depois, já em São Paulo, ele teve de passar por outra cirurgia devido a complicações.

Para o coloproctologista João Ricardo Duda, membro titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, a maior preocupação é com o religamento do intestino. “Se passados sete dias da cirurgia estiver tudo bem, pode-se concluir que houve a cicatrização do intestino”, afirmou por e-mail.

Recuperação

As primeiras 48 horas do pós-cirúrgico de Jair Bolsonaro serão de descanso absoluto. Em razão disso, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, assumirá a Presidência da República de forma interina, pela segunda vez no mandato.

O hospital Hospital Albert Einstein, em São Paulo, disponibilizou ao presidente um quarto com uma sala anexa que, a partir de quarta-feira (30) à tarde ou quinta-feira (31), será usada como um gabinete presidencial.

É de lá que Bolsonaro pretende comandar as atividades do governo e acompanhar a retomada dos trabalhos no Congresso, a partir de sexta-feira (1º). Para facilitar, alguns integrantes da equipe podem se hospedar num hotel próximo do hospital.

A previsão de assessores da Presidência é a de que Bolsonaro só retorne a Brasília no fim da próxima semana.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo