Brumadinho: trabalhos de resgate continuam; são nove mortos

Por Luccas Balacci

São nove o número de mortos na tragédia causada pelo rompimento da barragem que destruiu parte de Brumadinho, em Minas Gerais. Por volta das 9h, um corpo foi trazido ao centro de operações por um helicóptero. Dos 345 desaparecidos, 46 foram encontrados e encaminhados para unidades de saúde.

Outras 86 famílias ficaram ilhadas em pontos mais altos da cidade. Duas delas foram contatadas e resgatadas e as demais aguardam resgate.

Os trabalhos para encontrar vítimas do desastre ocorrem em quatro áreas da cidade: entre 100 e 150 pessoas estavam na área administrativa que ficava nas proximidades da barragem; outras 30 na região da via Vértico e 35 na pousada Nova Instância, ambos atingidos pela lama; por fim, a região do parque das cachoeiras tinha entre 100 e 140 pessoas no momento do rompimento.

Neste sábado (26), 13 aeronaves sobrevoam a cidade em busca de vítimas – cinco do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, quatro da Polícia Militar de Minas Gerais, duas da Polícia Civil de Minas Gerais, uma da FAB (Força Aérea Brasileira) e uma Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro. A corporação do Estado vizinho enviou 42 militares para ajudar nos resgates, totalizando 144 pessoas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o rompimento despejou um quinto do volume de rejeitos do desastre de Mariana, também em Minas Gerais. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos, o suficiente para encher cinco mil piscinas olímpicas.

Leia mais:
Brumadinho: Fundação Hemominas convoca doadores de sangue
Brumadinho: ‘É indesculpável’, diz presidente da Vale; veja vídeo

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo