Preso desde novembro, Carlos Ghosn se demite da presidência da Renault

Por Ansa

O ex-presidente da Nissan e da Mitsubishi Carlos Ghosn anunciou nesta quinta-feira (24) sua renúncia do comando da montado francesa Renault, função da qual estava licenciado desde que foi preso, em novembro passado, em Tóquio.

A decisão foi tomada antes do conselho do grupo francês realizar uma reunião, na qual iria destituir o executivo e nomear uma nova equipe. A informação foi revelada pelo ministro da Economia e Finanças, Bruno Le Maire, que está no Fórum Econômico de Davos, citado pela Bloomberg TV.

Leia mais:
PSG é multado por racismo; clube recrutava jogadores conforme origem étnica
Governo Bolsonaro vai remover brasão do Mercosul do passaporte brasileiro

Horas depois, o Conselho de Administração da Renault nomeou Jean-Dominique Senard como substituto do brasileiro. O novo indicado, que até agora era responsável pela fabricante de pneus Michelin, trabalhará junto com Thierry Bolloré, diretor-geral da companhia.

Ghosn é acusado de ter subnotificado seus rendimentos no Japão em dezenas de milhões de dólares e de ter feito transferências ilegais para a Arábia Saudita, porém se diz inocente.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo