Câmara de Santo André inicia processo que pode cassar vereadora Elian Santana

Por Metro ABC

O presidente da Câmara de Santo André, Pedrinho Botaro (PSDB), acatou ontem dois pedidos para a cassação do mandato da vereadora Elian Santana (SD). Ela é investigada pelo Ministério Público Federal por participar de fraudes em benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Os pedidos de cassação são de autoria do Psol e do Fórum de Cidadania do Grande ABC.

De acordo com a assessoria da Câmara, os próximos passos do processo serão definidos pelo departamento jurídico da Casa.

A expectativa é que os pedidos sejam analisados pela comissão de ética. Os grupos temáticos serão formados no retorno do recesso, marcado para o próximo dia 5.

A data marcará também a posse do vereador Vavá da Churrascaria (SD). Ele conquistou o direto à vaga após decisão judicial. Vavá é o suplente de Elian, que foi afastada pela Justiça, mas ainda recebe seus vencimentos. Por conta disto, o entendimento inicial do jurídico da Casa era de que ele não poderia assumir.

A investigação que envolve Elian Santana é parte da operação Barbour, que resultou no ano passado na prisão da vereadora de Santo André por 18 dias.

De acordo com a denúncia, o grupo que ela participava aliciava pessoas, a maioria bancários, interessadas em serviços de assessoria previdenciária para antecipar a aposentadoria.Em troca, cobrava valores entre R$ 8 mil e R$ 15 mil.

Feito o acordo, os beneficiários enviavam – muitas vezes diretamente ao gabinete da parlamentar – os documentos pessoais requeridos, que eram encaminhados à agência do INSS em Diadema para a conclusão das fraudes. Um servidor público do local incluía as informações falsas no sistema e liberava o benefício.

Elian nega participação no esquema.  

‘Sou inocente neste processo fraudulento’

A vereadora Elian Santana divulgou texto no início deste mês se defendendo das acusações de participar de fraudes ao INSS.

Citando Deus em vários momentos, a evangélica afirma confiar na justiça divina. “Tenho passado por momentos tenebrosos e dias amargos, mas confio em Deus e em suas promessas em minha vida. Deixo claro a todos que sou inocente neste processo fraudulento junto ao INSS, não sou líder de nenhuma quadrilha, não me atrelei a pessoas fraudulentas e não desviei nem um centavo do erário público”, diz o texto. A reportagem procurou a vereadora, mas ela não se pronunciou até a conclusão desta edição.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo