Estações no centro concentram maior número de roubos no metrô

Por Leandro Gouveia – Rádio Bandeirantes

As três estações de Metrô com o maior número de roubos em 2018 ficam no centro de São Paulo. Os dados da Secretaria da Segurança Pública foram obtidos com exclusividade pela Rádio Bandeirantes por meio da Lei de Acesso à Informação.

Foram considerados os casos em que as vítimas relataram ter objetos subtraídos mediante violência ou grave ameaça dentro de estações ou entorno.

Em primeiro lugar ficou a estação República, com 50 ocorrências, o dobro do registrado em 2017. Depois aparecem as estações Luz, com 38 roubos, e Sé, com 31, números estáveis em relação ao ano anterior.

Completam a lista das 10 paradas mais perigosas Santana, Tatuapé, Barra Funda, Brás, Anhangabaú, Corinthians-Itaquera e Carandiru.

Leia mais:
Prefeitura lança edital de concessão do serviço de Zona Azul
EMTU: Ônibus intermunicipais de SP têm reajuste médio de 6,45%

Destaque para os roubos ocorridos dentro de vagões do Metrô: foram 35 em 2018, segundo boletins de ocorrência. Entre os casos, quatro aconteceram na estação Jardim São Paulo, três na Santana e um na Parada Inglesa, todas na zona norte, entre os meses de outubro e dezembro.

Em nota, o Metrô disse que registrou apenas 90 casos de roubo em 2018, quando foram efetuadas 33 prisões por agentes de segurança. A empresa acrescenta que as medidas já adotadas provocaram redução de 17% nas ocorrências na comparação com 2017.

A previsão é que todos os trens tenham monitoramento online até o fim do ano na linha 2-Verde e até 2020 nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha. A Via Quatro, que administra a Linha 4-Amarela, informou que possui mais de mil câmeras nas estações e 754 nos 29 trens.

A Polícia Civil afirmou que realiza operações constantes nas estações, principalmente naquelas onde o fluxo de usuários é mais intenso.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo