Papa Francisco compara refugiados a Jesus

Por Ansa

O Papa Francisco voltou a defender o acolhimento de migrantes forçados e refugiados, ao compará-los a Jesus Cristo.

No prefácio de uma coletânea de seus ensinamentos sobre a exploração de seres humanos e as migrações, o líder da Igreja Católica afirma que "milhões" de pessoas ao longo dos séculos foram movidas pelo desejo de "se deslocar e se estabelecer em outro lugar com a esperança de encontrar uma vida melhor".

"Os êxodos dramáticos dos refugiados são uma experiência que o próprio Jesus Cristo sentiu, junto com seus pais, no início de sua vida terrena, quando fugiram ao Egito para escapar da fúria homicida de Herodes", diz o Papa.

LEIA MAIS:
Buscas pelo bebê que caiu em poço na Espanha chegam ao sexto dia
Atentado com carro-bomba mata mais de 20 pessoas na Colômbia

Essa não é a primeira vez que Francisco compara Jesus a refugiados, em uma tentativa de incentivar países ricos a abrirem suas portas. As nações que mais acolhem refugiados são emergentes ou pobres, como Turquia, Paquistão e Líbano.

Luzes e esperança

A coletânea sobre migrantes tem quase 500 páginas e foi preparada pelo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, com o nome "Luci sulle strade della speranza" ("Luzes sobre os caminhos da esperança", em tradução livre).

"Como a história humana, a história da salvação é marcada por itinerâncias de diversos tipos – migrações, exílios, fugas, êxodos -, todas motivadas pela esperança de um futuro melhor em outro lugar. E mesmo quando a itinerância é induzida com intenções criminosas, como no caso da exploração, não se pode deixar roubar a esperança de libertação", afirma Francisco.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo