Árvore ultrapassa buraco e lidera ranking de queixas na prefeitura de SP

Por André Vieira, Metro Jornal

Os problemas com podas, cortes e remoções de árvores ultrapassaram o tapa-buraco no “ranking de dor de cabeça” do paulistano e lideraram as demandas que chegaram à Ouvidoria da Prefeitura de São Paulo no ano passado.

Os registros sobre as árvores passaram de 2.455, em 2017, para 3.420, em 2018. Com o crescimento de 39%, o serviço tomou o primeiro lugar que era do tapa-buraco, e que agora aparece em segundo. No pódio também estão drenagem de água de chuva, PSIU, capinação e veículos abandonados (veja ao lado).

A Ouvidoria é como uma segunda instância. Nos casos de zeladoria, os registros são de protocolos abertos por moradores que não tiveram atendimento das subprefeituras e buscaram o órgão para reclamar ou buscar mais informações.

O temporal de segunda-feira deu uma amostra na Vila Mariana (zona sul) de como a queda de árvores pode trazer toda sorte de problemas e afetar a rotina da cidade. A queda de galhos sobre fios e postes deixou parte da região por até 24h sem energia elétrica, internet e telefone. A movimentada rua Sena Madureira teve um trecho interditado por mais de um dia inteiro devido a uma árvore de grande porte que caiu.

Por uma enquete, o Metro Jornal consultou os seus leitores pelo Twitter e 43% disseram que já solicitaram podas de árvores, mas não foram atendidos pela prefeitura. Outros 34% disseram que nunca precisaram do serviço, 18% foram atendidos com demora e 6% foram atendidos com rapidez.

No Jaraguá (zona norte) o leitor Lucas Niquirilo escreveu que “quando chove e uma árvore cai, é a população que tem que fazer o trabalho”.

ranking reclamações Arte / Metro Jornal

Um problema histórico de SP

A Secretaria das Subprefeituras afirmou que a poda de árvores é um “problema histórico de São Paulo” e que vem ampliando o número de equipes para minimizar seus efeitos. “Desde meados do ano passado, todas as subprefeituras têm mais de uma equipe de poda e manejo de árvores.”

Em média, 65 equipes trabalham na cidade por mês. A pasta informou que recebeu 51 mil solicitações por meio do canal 156 e que realizou 89,6 mil podas e 11,6 mil remoções em 2018.  A secretaria ressaltou que as subprefeituras têm prazo de 120 para responder aos pedidos e que os moradores devem acionar os bombeiros, pelo 193, ou a Defesa Civil, pelo 199, em casos de risco iminente. Sobre a pavimentação, as subprefeituras receberam 87 mil pedidos pelo 156 e taparam 230,5 mil buracos.  O prazo é de 45 dias. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo