Aliados preveem reeleição de Maia no 1º turno

Por Cláudio Humberto

Animados após “conversas promissoras” com líderes de PSB, PDT e PCdoB, aliados já contam com a reeleição do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Vai ser no 1º turno”, diz um articulador. Com a provável adição dos 69 deputados de PSB, PDT e PCdoB, e as bancadas dos 12 partidos que declararam apoio oficial, Rodrigo Maia já pode contar com cerca de 330 votos, garantindo com folga a reeleição.

Rodrigo Maia Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

15 partidos

Além de PSB, PDT e PCdoB, apoiam Rodrigo Maia PSL, PSD, PR, PRB, PSDB, DEM, SD, Pode, PSC, Pros, PPS e Avante.

Correndo por fora

O PP lançou Arthur Lira (AL) após perder cargos para o PSD. Já o MDB deve apoiar Fábio Ramalho (MDB-MG) para o comando da Casa.

Para a história

Caso seja reeleito, Rodrigo Maia será o presidente mais longevo desde a redemocratização. Ao todo serão 1.662 dias no comando da Câmara.

Concorrência baixa

João Campos (PRB-GO) se lançou como “candidato do governo”, mas não teve apoio nem do próprio partido, que está fechado com Maia.

Analistas já preveem Bovespa a 130 mil pontos

O otimismo que tomou conta do mercado financeiro com os rumos do governo Bolsonaro já leva analistas a preverem, ainda com cautela, a possibilidade do índice da Bolsa de Valores em 130 mil pontos. “Está se encaixando”, diz analista ao lembrar que a Bovespa subiu quase 7% desde o início de 2019 e 12% desde o 2º turno das eleições, além das quedas do dólar e dos combustíveis, já sentidas na economia.

Ladeira acima

O índice Bovespa subiu de 85.700 pontos na véspera da eleição para 87.800 pontos no último dia útil de 2018 e fechou em 94.500 ontem.

Claudio Humberto Reprodução

 

Ladeira abaixo

O dólar, que fechou 2018 valendo R$ 3,87 seguiu ladeira abaixo desde então e iniciou a semana cotado a R$ 3,69; queda de 4,4% no período.

Tanque cheio

Em meio a mudanças na Petrobras, até o preço da gasolina também caiu e já está abaixo de R$ 3,70 em várias cidades, como Brasília.

Correndo por fora

Sem conversa com Rodrigo Maia, o deputado Arthur Lira (PP-AL) é candidato a presidente da Câmara. “Tem uns 20 dias que não falo com ele [Maia]”, disse Lira à coluna ao negar qualquer acordo para desistir.

Rêgo Barros é craque

O presidente Bolsonaro mandou bem escolhendo o general Otavio Santana do Rêgo Barros como seu porta-voz. É um gentleman no relacionamento e um estudioso de comunicação social, área que chefiou quando o general Eduardo Villas Bôas comandou o Exército.

Limpa no Ibama-PA

Petistas do Ibama-Pará de cabelo em pé: o delegado federal Everaldo Eguchi, reconhecido pelo combate ao crime organizado, é o favorito no governo para chefiar a superintendência do órgão no Estado.

Aparelhamento

Com a saída de Adelmir Santana, já tem “líder empresarial” tentando aparelhar a Fecomércio-DF, oferecendo cargos no Sesc e Senac em Brasília em troca de votos. Nem sabem que o acesso aos quadros do Sistema S, hoje, só pode ocorrer mediante processo seletivo público.

Papo torto

O deputado Danilo Cabral (PSB-PE) propôs a criação de uma Frente Parlamentar do Nordeste na Câmara dos Deputados, seria tudo porque o presidente Bolsonaro “vem priorizando as frentes temáticas”.

Começou com tudo

Nas primeiras duas semanas de mandato, o governador Ibaneis Rocha (DF) conseguiu quitar dívidas de R$ 15,4 milhões, retomando cirurgias cardíacas no Instituto do Coração do DF e tratamentos de hemodiálise.

Arroz em festa

A Associação Brasileira da Indústria do Arroz divulgou resultados do setor em 2018; de janeiro a dezembro o Brasil exportou 1,4 milhão de toneladas de arroz. São US$467 milhões em negócios. O maior cliente do Brasil é o Peru, com quase US$41 milhões de compras em arroz.

Profusão

O site de abaixo-assinados Change.org tem dezenas de páginas contra a eleição de Renan Calheiros para a Presidência do Senado. Os três abaixo-assinados mais populares têm somados 380 mil assinaturas.

Pensando bem…

…após a posse do ditador na Venezuela, “cair de Maduro” nunca teve tanto significado.

Poder sem Pudor Reprodução

 

Durante a Cúpula com países árabes, certa vez, o então presidente do Paraguai, Nicanor Duarte Frutos, decidiu correr no Parque da Cidade, em Brasília, pelas 19h. Ele e o embaixador do Paraguai, Luiz Gonzalez Arias, trajados a rigor (tênis, bermuda, camiseta), perguntaram a um office-boy do Hotel Meliá Brasília como chegar ao parque. Solícito, o rapaz foi até a calçada e apontou a direção do parque, mas acabou “convocado” pelos seguranças a acompanhar os paraguaios. Correu os 40 minutos do “cooper” vestindo uniforme, com luvas e sapatos sociais.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo