Bolsonaro dá sinal verde para fusão entre Embraer e Boing

Por Metro Jornal

O governo não exercerá o poder de veto a que tem direito no acordo entre Boeing e Embraer. A decisão foi anunciada após uma reunião do presidente Jair Bolsonaro com representantes dos ministérios da Defesa, da Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Economia e dos comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

“O presidente foi informado de que foram avaliados minuciosamente os diversos cenários e que a proposta final preserva a soberania e os interesses nacionais”, disse a Presidência da República. O negócio vai movimentar US$ 5 bilhões.

Leia mais:
Inflação oficial fecha 2018 em 3,75%; índice ficou abaixo da meta
Caminhoneiro atropela e mata ladrão em tentativa de assalto na zona oeste

A Embraer precisa agora convocar uma assembleia extraordinária na qual os acionistas decidem se aprovam ou não o negócio. Depois, se aprovada, a transação será submetida às autoridades regulatórias e terá de ser ratificada pelos conselhos das duas empresas.

Com isso, a Boeing ficará com 80% da nova empresa, que será responsável pela área de aviação comercial que hoje é da Embraer. A expectativa é de que o negócio esteja concluído no segundo semestre deste ano.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo