‘Brasil não será porto-seguro de criminosos’, afirma Moro

Por Metro Jornal Brasília

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou ontem, durante cerimônia de transmissão de cargo, que o Brasil não será um porto-seguro para criminosos e que “jamais negará cooperação a quem solicitar, por motivo, exclusivamente, político-partidário”, disse.

“Não deve haver porto- seguro para criminoso e para o produto de seus crimes. Quando os países não cooperam, quem ganha é somente o criminoso”, salientou Moro.

Desvios

No discurso, o ex-juiz federal afirmou que o desvio de recursos públicos atinge, principalmente, os mais vulneráveis. Para ele, as investigações e condenações não são suficientes.

Segundo Moro, são necessárias políticas gerais que diminuam incentivos e janelas para a prática do crime.

Desafio

Outro obstáculo que Moro deverá encarar é o crime organizado. Ele revelou como pretende combatê-lo: “Prisão de seus membros, isolamento carcerário das lideranças, identificação da estruturas e confisco de seus bens”, elencou o ministro.

Moro quer, ainda, enviar ao Congresso logo no início da próxima legislatura um projeto de lei “anticrime”. O objetivo é enfrentar os “pontos de estrangulamento da legislação penal que impactam a eficácia do sistema de Justiça”.  

falas dos ministros Arte / Metro Jornal
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo