Alunos devem começar ano sem kit escolar em SP, diz secretário

Por André Vieira - Metro Jornal

Marcado para começar em 1º de fevereiro, o ano letivo dos alunos da rede pública estadual de educação terá início com “prejuízo gigantesco”, nas palavras do novo secretário da pasta, Rossieli Soares.

Em entrevista nesta quarta-feira ao lado do novo governador, João Doria (PSDB), e dos demais secretários, Soares disse que os estudantes começarão o ano sem kit escolar e sem material pedagógico de apoio, e que pode faltar professores.

O secretário afirmou que os materiais não serão entregues de imediato porque o governo anterior não assinou contratos para fornecimento.

“Nós não temos hoje garantida a aquisição de caderno, caneta, lápis, ou seja, o kit fundamental para que o aluno comece o ano letivo. Da mesma forma, o material pedagógico de apoio às escolas também não está contratado.”

Para completar, Soares disse que há uma “lacuna de 8,5 mil professores” por causa de ordem do Tribunal de Justiça que proíbe o estado de contratar mais professores substitutos. Segundo o novo secretário, 2,5 milhões de alunos “podem ter alguma aula perdida” por falta de professores.

Doria disse que “saúde, educação, segurança e geração de emprego” são as prioridades máximas do governo, e classificou a situação da educação como “muito ruim”.

Ex-secretário estadual, João Cury disse ao Metro Jornal que está surpreso com as declarações. Cury publicou no Facebook em 21 de dezembro do ano passado uma foto dos contratos sendo assinados.

“A entrega dos kits começa em 15 de janeiro, na capital, e  para todo o estado até abril, isso porque a contratação ficou 92 dias bloqueada pela Justiça. Sobre o material pedagógico, combinamos que não seria impresso porque estava desatualizado e faríamos um de transição. O novo secretário participou da reunião.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo