Brasileiros vão gastar 45% a mais com a ceia de Natal neste ano; veja dicas do SPC para economizar

Por Metro Jornal

O consumidor está mais animado e mão aberta para aproveitar as festas de final de ano – pelo menos em relação à comida.

Segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), os brasileiros querem gastar 45% a mais com a ceia ou o almoço de Natal neste ano em comparação com 2017, já descontados os efeitos da inflação.

A ideia é gastar, em 2018, em média R$ 207,27 com os preparativos de Natal – no ano passado, o valor foi de R$ 136,52.

Acontece que 39% dos entrevistados ainda não sabem quanto vão gastar – e isso pode ser um problema depois.

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, é importante planejar com antecedência os gastos para evitar dor de cabeça mais tarde. Nesse caso, compartilhar os custos – e não apenas presentes – pode ser uma saída. “Dividir as despesas é uma estratégia interessante, ao evitar que os custos sobrecarreguem o bolso de uma única pessoa. Outra dica é pesquisar bem os preços e, se possível, sair de casa com uma lista incluindo todos os itens”, orienta.

Sobre isso, 31% planejam compartilhar as despesas da festa entre os familiares. Outros 31% vão estipular que cada um leve um tipo de prato ou bebida diferente.

Leia mais:
Metro Indica: veja as opções culturais em SP para o fim de semana do Natal
A poucos dias do Natal, comércio do Brás tem fila antes mesmo de lojas abrirem

Somente 13% vão arcar com todas as despesas — com aumento de 4,6 pontos percentuais em relação a 2017.

Onde passar o Natal
O levantamento incluiu também onde os consumidores pretendem celebrar a data.

Os dados mostram que 48% dos entrevistados vão celebrar o Natal em casa, enquanto 34% com os pais ou outros parentes.

Guarda-roupa renovado
O estudo diz ainda que os consumidores estão mais preocupados, neste ano, em comprar roupas novas para passar as festas. Em cada dez brasileiros que vão comemorar o Natal, seis (64%) disseram que vão comprar alguma peça nova de vestuário ou acessório.

Dentre as mulheres, o percentual sobe para 70%.

Quem aposta em algum traje antigo e não vai gastar com isso representa 21% da amostra.

Já 15% ainda não se decidiram.

O gasto médio previsto com roupas deve ser de R$ 237,11.

Metodologia
Inicialmente foram ouvidos 761 consumidores em 27 capitais. Depois, a partir de 607 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo. A margem de erro é de no máximo 3,5 e 4,0 p.p, respectivamente, a uma margem de confiança de 95%.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo