‘O pânico era grande’, diz policial que parou atirador de Campinas

Por Metro Jornal Campinas

Os policiais militares, sargento de Élson de Souza Cruz e o soldado Lucas Felipe Amaral,  que faziam o policiamento a pé no Centro na tarde de ontem, viraram heróis depois de terem parado o atirador Euler Fernando Grandolpho, que abriu fogo contra os fiéis dentro da Catedral Metropolitana de Campinas, no Centro, matando cinco pessoas e ferindo outras três. O atirador se matou no altar da igreja.

Segundo eles, ao ouvirem os tiros eles se dirigiram à igreja. “As pessoas passaram por nós correndo, gritando. Era o pânico. Um rapaz alvejado, disse ‘tem um rapaz lá dentro atirando em todo mundo’”, disse o sargento Souza.

Ele disse que ao identificar o rapaz, eles atiraram. “Ele caiu no chão e disparou um tiro contra a cabeça”, disse Souza.

O policial também afirmou que o criminoso não falou nada. “Ele já estava atirando e só terminou os disparos quando ele realmente foi alvejado e caiu no chão”, disse Souza. Amaral afirmou que eles têm de ficar atentos devido ao aumento de pessoas no Centro em razão das compras de fim de ano.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo