Ataque em catedral de Campinas deixa cinco mortos e quatro feridos

Por Rose Guglielminetti – Metro Jornal Campinas

Inaugurada há 135 anos, a Catedral Metropolitana de Campinas viveu ontem sua maior tragédia. Ainda por motivos não devidamente explicados, um homem de 49 anos invadiu o templo tombado pelo patrimônio histórico e considerado um dos marcos mais importantes da cidade e matou quatro pessoas; feriu outras quatro e se matou em seguida com um tiro na cabeça, ao lado do altar principal da igreja. Todos os mortos são homens.

Identificado pela Polícia Civil como sendo Euler Fernando Grandolpho, ele não tinha antecedentes criminais (veja texto ao lado), mas só não provocou uma tragédia ainda maior, porque foi contido por policiais militares, da base localizada em frente a igreja.

LEIA TAMBÉM:
Vídeo mostra ataque em catedral de Campinas; imagens fortes
"
Rezem pelos feridos", pede padre que presenciou mortes em Campinas; veja vídeo

Euler entrou na Catedral assim que terminou a missa das 12h15 e levava consigo numa mochila com duas armas: uma pistola 9mm, com a numeração raspada, e um revólver calibre 38. Entrou, se sentou num dos bancos do meio, em frente  a um casal, que estava em oração. Naquele momento havia cerca de 15 pessoas na igreja.

“Ele se levantou, virou para o casal e atirou. Primeiro no homem, depois na mulher”, contou o aposentado Pedro Rodrigues, 66 anos, que estava no templo no momento do ataque.

Rodrigues conta que correu em busca de um abrigo, mas percebeu que o homem chegou a trocar o carregador de uma das armas. A Polícia estimou que ele tenha feito perto de 20 disparos, mas poderia ter feito muito mais. A ação dele durou dois minutos.

Peritos encontrou com ele, 28 munições – 22 de 9mm e seis do calibre 38.

“Não fosse a intervenção da PM, ele poderia ter saído da igreja e atirado nas pessoas na rua”, disse o comandante da Guarda Municipal, Márcio Frizarin. A Rua Treze de Maio, ao lado da igreja, é o principal centro de compra popular da cidade. Duas pessoas foram mortas com tiros nas costas, num indicativo de que estavam em fuga.

O delegado José Henrique Ventura, do Deinter 2 (Departamento de Polícia Judiciária-2) disse que ainda é prematuro falar sobre motivação.

“Não constatamos nada contra ele, a não ser dois registros por injúria e perseguição do qual seria vítima”, disse ele. “Não tem  nada que possa dizer que ele tinha antecedentes criminais”, completou o delegado.

Vítimas

Morreram no atentado, Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpídio Alves Coutinho.

Ficaram feridos, Jandira Prado Monteiro, de 65 anos.Ela foi internada, mas está fora de perigo. O aposentado Heleno Severo Alves, de 84 anos, foi atingido por dois disparos e seu estado é considerado grave. A terceira vítima é Maria de Fátima Frazão Ferreira, de 68 anos, que já recebeu alta, assim como o quarto ferido, que não foi identificado.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo