Novo ministro de Bolsonaro defende que Ibama reduza multas

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

O futuro ministro do Meio Ambiente defende o fim do que chama de “ebulição” de multas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o Ibama.

O Ibama é responsável pela aplicação da Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA), que visa preservar o patrimônio e os recursos naturais brasileiros. É o instituto que concede também licenças ambientais para construções e empreendimentos.

Indicado para o cargo por Jair Bolsonaro, Ricardo Salles foi entrevistado pela Rádio Bandeirantes na manhã desta segunda-feira (10).

Segundo ele, muitos autos de infração hoje registrados acabam sendo anulados pela Justiça por algum tipo de inconsistência.

Salles também indicou ser favorável à modernização da legislação ambiental.

Leia mais:
Breaking Bad da vida real: Polícia descobre laboratório de drogas em Ribeirão Preto
Mais Médicos: Ministério da Saúde publica edital para vagas remanescentes

O futuro ministro do Meio Ambiente disse ainda que pretende ter uma atuação mais técnica do que ideológica.

Só assim, para Ricardo Salles, será possível evitar que o país seja punido pela demora na concessão de licenças para obras, por exemplo.

Advogado e administrador, o futuro ministro do Meio Ambiente fundou o “Movimento Endireita Brasil” e é filiado ao Partido Novo.

Ele foi secretário particular e de Meio Ambiente do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.

Controvérsia
Ricardo Salles está sendo investigado por fraude ambiental. O futuro ministro é acusado de manipular mapas de manejo ambiental do rio Tietê.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo