Furto de hidrômetros em São Paulo aumenta 46% em 1 ano

Por Metro São Paulo

O número de furtos de hidrômetros em São Paulo aumentou 46% neste ano, de acordo com dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). O principal atrativo aos ladrões seria o cobre, material presente nos equipamentos e que pode ser facilmente revendido.

De janeiro a setembro, 2.448 casos foram registrados pela companhia na cidade. No mesmo período do ano passado, houve 1.672 ocorrências. Segundo a Sabesp, os casos de furto ou desaparecimento de hidrômetros representam 0,08% do total de medidores instalados no município.

A Sabesp recomenda que, quem tiver o medidor furtado, registre boletim de ocorrência para que a polícia investigue o crime. Além disso, deve ligar para a central de atendimento da companhia (195) e pedir a troca do equipamento, que não terá custo caso seja apresentado o boletim.

Segundo a SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública), as polícias Civil e Militar realizam operações em lojas que possam comercializar os aparelhos furtados, para “combater a cadeia econômica em torno da venda irregular do material e assim diminuir o furto e a receptação de hidrômetros”. Em setembro, um homem de 23 anos foi preso por furto de medidor no Tatuapé (zona leste).

Prevenção

Desde 2015, um item se tornou obrigatório em novas instalações feitas pela Sabesp: a caixa UMA (Unidade de Medição de Água). Com o uso dela, o medidor de consumo de água permanece visível, porém protegido de ser retirado.

A companhia recomenda que seja feito o uso da caixa UMA na prevenção de furtos dos hidrômetros. O equipamento pode ser comprado em lojas de materiais de construção e vem identificado com selo de inspeção da Sabesp.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo