Presidente filipino, Rodrigo Duterte, convoca população para matar bispos católicos

Por Rodrigo Almeida

O presidente das Filipinas fez duras declarações contra os bispos católicos. Rodrigo Duterte é critico ferrenho do catolicismo e afirmou que os sacerdotes são inúteis e ainda adicionou que alguém deveria mata-los.

Duterte encampana uma guerra contra o tráfico de drogas no país asiático há pelo menos dois anos. A violência gerou críticas da confederação dos Bispos, uma instituição poderosa em um país em que 85% da população considera-se católica.

Em um discurso em Manila, capital do país, Duterte disse que as pessoas devem matar os bispos porque a única coisa que fazem é criticar. O mandatário ainda chamou a Igreja de “hipócrita” e assegurou que 90% dos bispos são homossexuais.

Críticas feitas pelos bispos despertaram a ira de Rodrigo Duterte

Duterte havia insultado a Igreja duas semanas atrás, quando disse que os filipinos não deveriam ir às missas para dar dinheiro a esses “imbecis”. Tudo isso porque os sacerdotes religiosos são os principais críticos do presidente.

A Conferência Filipina dos Bispos não comentou as palavras de Duterte. Em comunicado oficial afirmaram ser desnecessário colocar mais lenha nesse tipo de discórdia. Foram os sacerdotes que batizaram a guerra contra o tráfico de “Reino de Terror”.

O escritório do presidente disse que as palavras dele não devem ser levadas tão sério, pois Rodrigo estava utilizando de hipérbole no discurso, “não há necessidade para seremos literais”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo