Transplante inédito de útero é reconhecido em publicação

Por Metro Jornal

Uma das principais revistas científicas médicas do mundo, a “The Lancet”, oficializou agora feito inédito na medicina mundial, ocorrido no Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo) e prestes a completar um ano. Em 15 de dezembro de 2017, equipe de médicos do complexo hospitalar realizou transplante no qual uma mulher que recebeu um útero de uma doadora já falecida deu à luz um bebê saudável.

De acordo com o levantamento feito pelos profissionais brasileiros para a publicação no periódico, das 11 operações feitas em diversos países, com úteros de doadoras falecidas, só houve êxito no transplante realizado no Brasil.

A receptora tinha 32 anos e nasceu sem útero, devido a síndrome de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser. O órgão transplantado era de uma mulher de 45 anos, morta por um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Procedimento

O transplante de útero é uma cirurgia nova e ainda muito rara. A técnica começou a ser testada em humanos somente em 2012.

O procedimento, que durou 10h30, envolveu a ligação de veias do útero da doadora a veias da receptora, além de artérias, ligamentos e canais vaginais.  Depois dessa etapa, foi iniciado um tratamento imunossupressor para evitar a rejeição do útero. O bebê   – uma menina –  nasceu de parto cesariano e pesando 2,5 quilos.   

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo