No programa Mais Médicos, novos contratados em SP evitam bairros mais afastados

Por Estadão Conteúdo

Quarenta e nove médicos se apresentaram na manhã desta segunda-feira (3) para trabalhar em Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital paulista pelo programa Mais Médicos. Do total de 79 selecionados, um profissional desistiu, enquanto outros 29 precisam comparecer até o dia 14.

Das vagas disponíveis, as primeiras a serem preenchidas ficam nas regiões centro-oeste e sudeste ou nas proximidades de estações de trem e metrô. Caso as vagas não sejam ocupadas, novo edital deverá ser aberto.

Leia mais:
Obras atrapalham motorista em vias da Penha nesta terça
Multas por descarte irregular de lixo triplica em São Paulo

As vagas remanescentes ficam em regiões periféricas. Na zona sul, por exemplo, foi preenchida só uma das 12 vagas de Capela do Socorro, enquanto restaram todas as seis disponíveis em Cidade Tiradentes e as duas de Itaim Paulista, zona leste. Também esperam a apresentação de médicos UBSs de Brasilândia, zona norte, São Mateus, zona leste, Colônia e Parelheiros, no extremo sul, e M'Boi Mirim, também no sul da capital.

Os profissionais preencherão as 72 vagas abertas pelo fim do convênio entre Brasil e Cuba no programa, além de seis extras abertas pelo Ministério da Saúde. Em evento nesta segunda, os 48 novos médicos escolheram a UBS em que vão trabalhar por três anos. Como a divulgação da lista de locais foi feita na hora, eles faziam consultas na internet, em mapas e a coordenadores de saúde para obter mais informações sobre as unidades.

Facilidade

O primeiro a escolher foi o paulistano Allan Brito, de 30 anos, que trabalhará na UBS Santa Cecília. "O ideal seria ter mais vagas alocadas na região central. Seria mais fácil. Quem mora em São Paulo sabe da dificuldade em ir nessas regiões mais complicadas de transporte público e carro", diz ele, formado há dois anos no ABC paulista. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo