CCR relata ao MP que deu caixa 2 a políticos

Por Metro Jornal e Jornal da Band

O Grupo CCR, concessionária que administra parte das rodovias estaduais, e o MP-SP (Ministério Público de São Paulo) assinaram nesta quinta-feira termo de autocomposição, no qual a empresa se compromete a pagar multa de R$ 81,5 milhões após relatar ter feito doações a políticos paulistas por caixa dois entre 2009 e 2013.

Os nomes não foram divulgados pelo MP, mas o Jornal da Band apurou que entre os beneficiados pelo esquema, estão: José Serra (PSDB), com doação à sua campanha presidencial em 2010,  Geraldo Alckmin (PSDB), para a campanha ao governo paulista em 2010, Gilberto Kassab, para a montagem de seu partido, o PSD,  a senadora Marta Suplicy (MDB) em sua campanha ao Senado em 2010, quando era do PT, e o deputado estadual Campos Machado (PTB).

A CCR relata ter doado R$ 44,6 milhões, em valores corrigidos. Com o acordo firmado com o MP, encerrase inquérito civil instaurado em março. Dos R$ 81,5 milhões que serão pagos, R$ 17 milhões serão doados para construir a biblioteca da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

“Não é o fim,  mas o começo de uma grande investigação contra vários ex e atuais agentes políticos”, falou o promotor José Carlos Blat, da Promotoria do Patrimônio Público.

As investigações devem durar até o início de março de 2019. De acordo com Blat, por enquanto, não há indícios de que houve atos de corrupção. “Se houver identificação de contrapartida, levará ou a reformulação do acordo ou a rescisão. Todas as provas conduzidas estão validadas e (envolvidos) podem ser responsabilizados.”

Outro lado

Em nota, Serra, Alckmin, Machado e Kassab declararam que tiveram as contas eleitorais aprovadas pela Justiça e que sempre realizaram seus atos na forma da lei. A assessoria de Marta não retornou. Já a CCR afirmou que segue contribuindo com todas as autoridades públicas a fim de esclarecer os fatos.  

arte Arte / Metro Jornal
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo