PF faz operação contra quadrilha que fraudava INSS; prejuízo chega a R$ 170 mi

Por Metro Jornal

A Polícia Federal, em conjunto com a Força Tarefa Previdenciária, deflagrou na manhã desta segunda-feira (26) a Operação Barbour, com objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes contra o INSS.

A PF cumpre 4 mandados de prisão temporária e 6 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Diadema e Santo André. As fraudes podem ter causado prejuízo de R$ 170 milhões à Previdência.

Leia mais:
Reviravolta no caso Madeleine McCann: Nova teoria sobre desaparecimento será investigada
Cidade do Maranhão é atacada por quadrilha e moradores vivem noite de terror

Mais de 40 mil reais e 3 mil dólares em espécie foram apreendidos na casa de um servidor público em Diadema. Os agentes apreenderam ainda documentos e mídias para armazenamento de dados.

As investigações revelam que os envolvidos se reuniam no interior de um gabinete da Câmara de Vereadores de Santo André todas as segundas-feiras.

As reuniões eram abertas para os interessados em aposentadorias por tempo de contribuição com tempo menor. Na prática, o grupo apresentava documentos falsos para atestar que os trabalhadores estavam em condições insalubres ou perigosas.

O inquérito foi instaurado em junho deste ano, quando a PF recebeu informações da Secretaria de Previdência Social – que detectou erros nos pedido de aposentadorias em uma agência de Diadema.

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, inserção de dados falsos nos sistemas informatizados, corrupção passiva e estelionato qualificado.

O nome da operação faz referência ao cientista Barbour, que desenvolveu uma tese de que o tempo não existe.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo