Obra em viaduto da marginal Pinheiros vai afetar metas da prefeitura

Por Metro Jornal

A recuperação do viaduto que cedeu na marginal Pinheiros (zona oeste) há pouco mais de uma semana, interditando parte da pista expressa, deve motivar uma mudança no cronograma de obras da Prefeitura de São Paulo e até nas metas da gestão, segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB).

Em entrevista ao programa “Poder em Foco”, do SBT, Covas disse que as mudanças nas metas já vinham sendo discutidas mesmo antes do acidente.

Leia mais:
Muro de cemitério que desabou em Santo André começa a ser reconstruído nesta segunda
Prefeitura de São Paulo realiza operação contra o comércio irregular no Centro

“Talvez a gente tenha que deixar algumas obras que já tínhamos imaginado para 2019 e 2020 porque essa [a recuperação do viaduto da marginal] virou a urgência”, disse. “A gente já tinha identificado, desde o ano passado, que a vistoria visual [de pontes e viadutos] é insuficiente, ela é incompleta”, afirmou o prefeito.

Por isso, a prefeitura encaminhou na última sexta-feira ao TCM (Tribunal de Contas do Município) pedido para avaliar a contratação, em caráter de emergência, de laudos de engenharia das 185 pontes e viadutos da cidade. Uma concorrência para o serviço já foi feita e ele devia ser realizado neste ano, mas ela contemplava apenas 33 estruturas.

Reforma

Um pilar de apoio será construído sob o viaduto que cedeu para aliviar 200 toneladas do pilar original, no qual ocorreu o acidente. De acordo com a prefeitura, somente após a estabilização completa da estrutura será possível analisar as causas e definir o cronograma de recuperação do viaduto.

Interdições

Na última sexta-feira, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) liberou mais um trecho da marginal, de 1,2 km. Para isso, foi aberto o acesso da pista expressa para a local na altura da praça Silveira Santos, em Pinheiros (zona oeste).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo