Santo André também já está sem médico cubano

Por Metro Jornal ABC

Os 18 médicos cubanos que atuavam em Santo André, por meio do programa federal Mais Médicos, também já deixaram a função. No último dia 14, o Ministério da Saúde de Cuba anunciou o fim da parceria com o governo brasileiro, no último dia 14. O Metro Jornal mostrou ontem que  profissionais caribenhos também já não atuavam mais em alguns postos de São Bernardo. Em São Caetano, não há clínicos do projeto. 

A saída dos profissionais e a lacuna deixada por eles não é vista com preocupação pelo prefeito Paulinho Serra (PSDB). Na avaliação dele, “para as cidades mais consolidadas do ponto de vista urbano, bem posicionadas geograficamente, como é o caso de Santo André”, o programa “tem menos importância no sentido de composição da rede de saúde”.

Em nota, a prefeitura declarou que a Secretaria Municipal de Saúde está tomando as providências necessárias “para imediata cobertura das vagas deixadas” para que não ocorra prejuízo na prestação dos serviços à população.

A administração não informou quantas unidades de saúde ficaram desassistidas com a ausência dos médicos cubanos. Integram ainda o programa Mais Médicos na cidade  uma profissional boliviana e dez brasileiros formados em outros países (Rússia, Cuba, Paraguai, Argentina e Peru).

“Com muita sinceridade, o impacto é pequeno (na cidade). Esse programa, na minha opinião, tinha muito mais uma característica  (para ajudar) onde tinha dificuldade de mão de obra médica por conta da distância, da condição de trabalho, de uma série de coisas que nós aqui não temos”, disse Paulinho. “Então, a gente não tem nenhuma grande alteração. Para o país, aí é uma discussão muito mais complexa”, completou.

Ontem, o governo federal abriu as inscrições para o preenchimento de 8.517 vagas. O salário é de
R$ 11.800,00.  No ABC, estarão disponibilizadas 18 vagas em Santo André, 17 em São Bernardo, duas em Diadema, 33 em Mauá e sete em Ribeirão Pires. Podem se candidatar os médicos brasileiros com CRM (Conselho Regional de Medicina) no Brasil ou diploma revalidado no país. As inscrições vão até domingo e devem ser feitas por meio do site do programa (leia mais na página 5).

O início das atividades dos profissionais que atenderem ao perfil está previsto para o dia 3 de dezembro.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo