Equipes de três universidades do ABC projetaram carro de corrida para participar da Fórmula SAE Brasil

Por Metro Jornal ABC

Estudantes de três universidades do ABC colocaram a mão na massa, projetaram e construíram o próprio carro de corrida e vão participar da 15ª edição da Fórmula SAE Brasil, que será disputada entre os dias 28 de novembro e 2 de dezembro deste ano.

Alunos do Centro Universitário FEI, em São Bernardo, do Instituto Mauá de Tecnologia, em São Caetano, e da UFABC (Universidade Federal do ABC), que possui campi em São Bernardo e Santo André, serão os representantes da região na competição, disputada nas pistas do ECPA (Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo), em Piracicaba, interior de São Paulo.

Além das três equipes de instituições de ensino do ABC, outras 62 brasileiras e quatro estrangeiras – Colômbia, Peru, Venezuela e México – também se inscreveram para participar do campeonato amador, que é dividido em duas categorias de carros: combustão e elétrico.

Os veículos são submetidos a diversos testes, além de disputar segundo a segundo o melhor desempenho. Depois, a equipe campeã participará de um campeonato com vencedores de outras regiões do mundo, nos Estados Unidos.

O Centro Universitário FEI terá uma equipe em cada módulo da competição. Os dois carros, RB6 (elétrico) e RS12 (combustão) foram apresentados ao público na semana passada.

Orientador dos alunos que desenvolveram o RB6, o professor de engenharia elétrica Fabio Delatore afirma que ambas as categorias são semelhantes aos conhecidos carros monoposto da Fórmula 1. Ele também avalia que a competição é uma oportunidade para que os estudantes possam colocar os conhecimentos em prática.

“A gente tem como proposta trabalhar algumas habilidades que os tornam diferenciados quando vão para a vida profissional, como trabalho em equipe e habilidades manuais”, explicou.

Na categoria de carros elétricos, a FEI está participando pela sexta vez. Em 2015, a equipe formada por cerca de 20 estudantes foi campeã e representou o Brasil na cidade de Lincoln, nos Estados Unidos. Neste ano, o veículo foi testado pelo piloto profissional da Fórmula E Lucas Di Grassi, que deu dicas de como melhorar o desempenho do carro.

A tradição da universidade é ainda maior quando o assunto é combustão. A instituição de ensino foi campeã nacional em seis oportunidades. Em três delas, o carro projetado pelos alunos também ficou entre os 10 melhores do mundo.

Menos vitoriosas, mas também competitivas, as equipes do Instituto Mauá de Tecnologia e da UFABC estão em busca do primeiro título na competição.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo