Black Friday 2018: como aproveitar as promoções e não cair em fraudes

Por Metro Jornal

A Black Friday já está aí! Só no Brasil, a data deve movimentar 3,27 bilhões de reais em vendas, segundo previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O órgão espera aumento de 2,2% em relação ao ano passado.

A data, que inaugura as compras de Natal, existe desde a década de 60 nos Estados Unidos, ocorrendo sempre no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças. De 2010 para cá, ganhou força entre os brasileiros e se tornou o pico das vendas do varejo no país.

Desde o início do mês, diversas empresas do comércio e até de serviços oferecem descontos de "esquenta" para o grande dia.

Vai comprar nessa Black Friday? Então confira algumas dicas para sobreviver sem cair em fraudes – e, claro, aproveitando as promoções.

Não vá por impulso
De acordo com a coordenadora de atendimento do Procon-SP Renata Reis, o consumidor precisa ter foco e não sair comprando por impulso – por mais difícil que isso seja. Defina quais são as suas prioridades e compare preços. Veja quanto você pode gastar e tenha esse número em mente. Uma listinha de compras com as necessidades reais pode fazer bem para o bolso e consciência. "Prefira pagar no dinheiro. Se o pagamento for no cartão de crédito, repense a compra, porque as regras para atrasos no cartão de crédito são muito duras", alerta Renata.

Monitoramento de preços
O cenário ideal seria ter acompanhado o preço do produto desejado nos últimos 60 dias. Assim, o consumidor evitaria cair nos casos de superfaturamento. Mas como isso exige um planejamento anterior, a dica para agora é checar valores em várias lojas. Continua na dúvida? Confira, então, o monitoramento de preços do Procon. Eles monitoram, há dois meses, mais de 100 produtos em mais de 10 players do mercado.

Segurança na hora de comprar
Verifique a reputação da loja antes de efetuar qualquer compra, especialmente na internet. O Procon recomenda olhar se a empresa oferece um sistema de atendimento ao cliente e como ele funciona. "Certifique-se, no meio digital, se está mesmo no site da empresa e se local é seguro. Uma outra opção é ver se o cartão de crédito oferece cartão virtual para que não haja fraudes durante a transação", reforça Renata.

Se continuar com dúvidas quanto a reputação da empresa, veja a lista Evite esses sites, com líderes de reclamações dos consumidores. Preste atenção nos problemas daquela loja e se ela foi capaz de solucioná-lo.

Os direitos continuam!
Não é porque é Black Friday que os direitos do consumidor deixam de existir. Então se você passar dos limites nas compras on-line e se arrepender disso, ainda pode devolver.

De acordo com o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, o comprador pode desistir do contrato de serviço ou produto no prazo de 7 dias a partir da assinatura ou do recebimento. A coordenadora do Procon diz que, para isso, é preciso que tanto a compra quanto a desistência estejam registradas por escrito.

Vale lembrar também que o direito de arrependimento não vale para compras nas lojas físicas.

Se sentiu enganado? Denuncie!
O Procon estará de plantão da noite desta quinta-feira (22) até meia noite de sexta-feira (23). Quem se sentir enganado, lesado ou presenciar alguma oferta fraudulenta, pode – e deve! – denunciar.

Meios de reclamação e denúncia:

#PROCONSPNABLACKFRIDAY – use a hashtag nas redes sociais.
Contate o Procon pelo Facebook ou Twitter.
Atendimento telefônico pelo 151.
No site da entidade, estará um formulário para reclamações disponível de 22 a 28 de novembro.

Haverá ainda fiscalização em diversas lojas da capital paulista e equipes nas ruas para orientação.

Boas compras!

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo