Morto em tentativa de assalto, Roberto Kikawa levou unidades médicas à comunidades

Por Metro Jornal

Morto durante uma tentativa de assalto no Ipiranga, zona sul de São Paulo, o médico Roberto Kikawa, 48 anos, deixa um grande legado na saúde pública e no atendimento a pessoas carentes.

O gastroenterologista (especializado no aparelho digestivo), Kikawa idealizou em 2008 a Carreta da Saúde, iniciativa de sua então recém-fundada entidade CIES Global (Centro de Integração de Educação e Saúde), que levou unidades móveis a comunidades de baixa renda.

Dez anos após o início do projeto, mais de 2 milhões de exames, cirurgias e consultas já foram realizados. A capital conta com 32 pontos de atendimento e estima-se que mais da metade dos exames de ultrassom sejam feitos nessas unidades.

Leia mais:
Médico Roberto Kikawa foi confundido por policial, diz testemunha; veja vídeo do assalto
Polícia busca trajeto de fuga dos assassinos do médico Roberto Kikawa

Kikawa foi homenageado por seu trabalho em 2010, quando recebeu o Prêmio Empreendedor Social pelas iniciativas que levaram atendimento médico-preventivo especializado, humanizado e de alta tecnologia.

O CIES Global emitiu uma nota de pesar sobre o falecimento do fundador e diretor executivo. “O médico gastroenterologista fundou o Projeto CIES em 2008 com uma Carreta da Saúde, em cumprimento a uma promessa que fez ao pai, vítima de um câncer. O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam”, afirmou.

˙

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo