Prefeitura de São Paulo antecipa ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

Por Metro Jornal

Com medo de um novo surto de dengue, a Prefeitura de São Paulo antecipou as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Nesta quinta-feira (8), a administração municipal lançou o Plano Municipal de Enfrentamento às Arboviroses, um conjunto de práticas intersecretarial para combater e prevenir dengue, zika, chikungunya e febre amarela na cidade.

Dentre as estratégias, a gestão Covas aposta no Dia D: em 24 de novembro, 11 mil agentes de saúde estarão nas ruas para orientar, distribuir material educativo e vacinar a população.

Para intensificar a imunização, serão criados postos volantes em locais de grande circulação, como estações de metrô e trens e terminais de ônibus.

A ideia da Prefeitura é preparar a cidade para um combate efetivo durante o verão, que promete ser chuvoso e mais quente do que nos anos anteriores.

Leia mais:
Metrô vai retirar esteiras da transferência entre as linhas 2-Verde e 4-Amarela

A grande preocupação neste ano é com a dengue e a febre amarela, em razão das características cíclicas das doenças.

Segundo a Prefeitura, até outubro deste ano, o município registrou 505 casos de dengue; 24 casos autóctones (adquiridos no município) e 30 importados de chikungunya. Não houve caso autóctone de zika e um caso importado. Em relação à febre amarela, a capital registrou 3 casos autóctones, dos quais 6 evoluíram para óbito, e 107 casos importados.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo