Calçada ampliada é aprovada no 1º dia em SP

Por Metro Jornal

A depender da avaliação do primeiro dia, o projeto Caminhar Pinheiros deve durar bem mais que os 35 dias de teste, iniciados nesta segunda-feira, com a ampliação das calçadas da rua dos Pinheiros (zona oeste), no trecho entre as ruas Cônego Eugênio Leite e Joaquim Antunes, com a reserva para pedestres de vagas antes usadas para Zona Azul. Os frequentadores da rua aprovaram a iniciativa e os comerciantes acreditam que ela irá turbinar as vendas.

A babá Maria Rosa, 55, gostou da ideia e acha que a rua precisa desse espaço de convivência. “Seria bom fazer em todas as ruas”, afirma a babá.

O cozinheiro de um restaurante da rua, Celso Pereira, de 38 anos, concorda com Maria e acredita que o projeto será bom para o comércio e para quem frequenta os trechos, por trazer mais conforto.

O arquiteto Felipe Nascimento, 28, costumava descarregar carga em frente a uma pizzaria da rua e, mesmo com o empecilho para estacionar, concorda ser uma iniciativa boa. “A preferência é sempre para os pedestres. Para o bem maior, vale o esforço.”

A presidente do Coletivo Pinheiros, Vanêssa Rochha Rêgo, afirma que a intervenção não serve apenas para ser um espaço de convivência e melhorar a circulação dos pedestres, mas também para proporcionar novas experiências e a segurança de quem frequenta a rua. A inspiração veio do Festival Pinheiros, realizado duas vezes por ano, e do Estatuto do Pedestre, feito pelo vereador José Police Neto (PSD), que incentiva o projeto.

Foram ocupadas 18 vagas de Zona Azul, preservando as reservadas para idosos, pessoas com deficiência e de carga e descarga.

Ontem, os trechos de calçadas ampliadas contavam apenas com a pintura indicativa no chão. Segundo o Coletivo Pinheiros, floreiras serão instaladas hoje e o mobiliário previsto para o trecho será montado entre amanhã e quinta.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo