Bolsonaro oficializa início de transição com visita a Brasília

Por Metro Jornal

Nove dias após vencer as eleições no segundo turno, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) viajou para a capital Brasília para uma série de compromissos com o atual governo. Entre eles está o encontro com o presidente Michel Temer e uma visita ao Congresso Nacional.

O político embarcou na Base Aérea do Galeão, em avião da FAB (Força Aérea Brasileira), por volta das 7h desta terça-feira (6). Junto com ele estão o vice-presidente eleito, general Mourão, além de o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. O ministro extraordinário Onyx Lorenzoni e o futuro ministro da Defesa, general Augusto Heleno, também participam da agenda de Bolsonaro.

Leia mais:
Reforma da Previdência vem no máximo em 2019, diz Bolsonaro a Datena
Estados Unidos vão às urnas para eleger Câmara, Senado e governadores

A visita do presidente eleito simboliza o início dos trabalhos da equipe de transição a menos de dois meses para a posse em janeiro. Nesta manhã, Bolsonaro participa da sessão solene dos 30 anos da Constituição, na Câmara dos Deputados.

Entre os encontros previstos nesta terça-feira está um almoço com o atual ministro da defesa, Joaquim Silva e Luna. Jair Bolsonaro também se encontra com o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, e da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira.

Próximos dias

Na quarta-feira (7), o presidente Michel Temer se reúne pela primeira vez com o presidente eleito Jair Bolsonaro, às 16h. O encontro selará o início simbólico do governo de transição. Isso significa que as equipes trabalharão juntas na troca de informações para facilitar a entrada do novo governante.

Uma visita ao CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) de Brasília está prevista às 14h. O local serve como gabinete de transição desde a eleição de Luiz Inácio da Silva em 2002.

Entre outros encontros programados está um café da manhã com o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, e os presidentes do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, e do SJT (Supremo Tribunal de Justiça), João Otávio de Noronha.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo