Eleitor que filmou urna para denunciar 'fraude' se disse policial e não foi preso; TRE apura caso

Por Metro Jornal

Logo nas primeiras horas de votação do segundo turno, neste domingo (28), uma confusão em uma seção eleitoral do Pará já movimentou as redes sociais, depois que um vídeo em que um eleitor filma a urna eletrôncia, bradando fraude porque digitou o número de Bolsonaro na ordem errada.

O eleitor deveria votar primeiro para governador e o número que ele digitou não estava registrado para o cargo no Pará. Isso fica claro no vídeo em que ele mesmo gravou. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, a mesária que tentou impedi-lo de filmar no local foi empurrada. Quando a polícia foi acionada, porém, não pode levar o eleitor porque ele se apresentou como policial da reserva. "A guarnição não  pode prender por motivos hierárquicos", diz a nota.

Mesmo assim, a juíza Ana Patrícia determinou mandado de busca do eleitor para autuá-lo em flagrante. Mesmo se isso não for feito nas 24 horas, será instaurado um procedimento criminal, já que tudo foi anotado em ata.

 

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo