Acordo tiraria poder da Polícia Federal de conceder posse de arma, diz colunista

Por BandNews FM

O acordo entre Rodrigo Maia e a campanha de Jair Bolsonaro para mudar a lei do estatuto do desarmamento prevê que a Polícia Federal perderá o poder de conceder ou não a posse de arma a um cidadão brasileiro. A informação é da colunista da rádio BandNews FM Mônica Bergamo.

Pela lei hoje em vigor, ainda que a pessoa cumpra os requisitos, a PF pode recusar o registro se considerar que o cidadão não precisa de uma arma de fato. As demais regras de posse e porte de armamentos em regiões urbanas, se depender do grupo de Maia, não serão flexibilizadas.

Leia mais:
App vira botão de pânico contra violência doméstica em SP
João Doria diz que processará autores de vídeo de sexo

Hoje só membros das Forças Armadas, policiais, guardas, agentes penitenciários e seguranças privados podem carregar arma – ou aquelas que demonstrem que estão em atividade profissional de risco.

Pelas conversas preliminares entre Maia e os apoiadores de Bolsonaro, a idade mínima para a posse de arma deve seguir a mesma: 25 anos.

O impasse sobre o assunto gira em torno do porte em zonas rurais: os representantes do setor querem que as pessoas possam ter arma não apenas em suas casas, sede das fazendas, mas que possam circular com ela por toda a região em que têm propriedades.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo