Desinformação deliberada que visa descrédito há de ser combatida, diz Rosa Weber

Por Estadão Conteúdo

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, afirmou neste domingo (21) que a desinformação deliberada ou involuntária que visa o descrédito da justiça eleitoral tem que ser combatida. "Combatida com informação responsável e objetiva, tudo com a transparência que exige o Estado Democrático de Direito", disse a ministra em entrevista coletiva neste domingo, na sede do TSE, em Brasília. A ministra aproveitou para defender a imprensa livre. "Sem imprensa livre não há democracia", disse.

Segundo avaliação da presidente do TSE, as paixões políticas estão exacerbadas nessas eleições, assim como as discussões acaloradas e os "níveis de discórdia atingem graus inquietantes" Mas, para ela, "tudo isso é inevitável e próprio do embate eleitoral".

Apesar desse clima acalorado, Rosa Weber destacou que o primeiro turno das eleições já transcorreu em clima de normalidade.

Sobre as chamadas "fake news" que ganharam espaço nessas eleições, Rosa Weber disse que a "justiça eleitoral não combate boatos com boatos, há um tempo para resposta responsável". "O TSE dá respostas fundamentadas no âmbito das ações judiciais que são propostas, e as ações judiciais exigem o devido processo legal como previsto na Constituição", disse.

Estão presentes na coletiva os ministros do TSE Og Fernandes e Tarcísio Vieira, o ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann; o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sergio Etchegoyen, a ministra da Advocacia-Geral da União, Grace Mendonça, o vice-procurador-geral eleitoral Humberto Jacques, o diretor de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Elzio Vicente da Silva, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo