Márcio França faz campanha ao lado de Skaf e diz que não vota no PT

Por Estadão Conteúdo

Derrotado no primeiro turno da disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, fez campanha nessa quarta-feira (10) ao lado do governador Márcio França (PSB) em uma unidade do Sesi, em Suzano.

No local, fez críticas duras ao ex-prefeito João Doria, candidato do PSDB.

"Se alguém tem dúvida em relação ao caráter do João Doria, é só perguntar ao Alckmin", disse Skaf, citando também o ex-governador paulista Geraldo Alckmin. "Meu voto será em Márcio França", afirmou.

Leia mais:
Eleições 2018: Desejo de “melhorar de vida” que elegeu Lula move eleitor de Bolsonaro, diz governador aliado a Haddad
Bolsonaro faz avaliação médica; Haddad fala com jornalistas estrangeiros

O emedebista se refere à reunião da executiva do PSDB realizada na terça, em Brasília, na qual o ex-governador criticou Doria. Skaf também afirmou que o ex-prefeito "ganhou dinheiro com o PT" e que os prefeitos e deputados do MDB vão apoiar França.

O candidato do PSB disse ter uma relação pessoal de afinidade com Skaf, dizendo que o emedebista entrou na vida pública por um convite dele, França.

O governador de São Paulo aproveitou a ocasião ressaltar diferenças em relação ao PT, mas se irritou quando perguntado em quem votaria para presidente no segundo turno. "Você insiste nisso. Não vou votar no PT", disse França.

Segundo o pessebista, a fala de Alckmin na reunião do PSDB de terça foi "de quem se sentiu traído e humilhado".

França também exaltou sua vice, Nikoluk, que é coronel da PM, e reafirmou que prometeu a ela no 1º turno que não estaria com o PT.

O governador e Skaf foram recebidos na unidade do Sesi por militantes com bandeiras do PR e PSB. Eles visitaram as instalações cercados por aliados, entre eles o prefeito de Campinas, Jonas Donizete.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo