Assembleia de São Paulo terá nove deputados em mandato coletivo

Por André Vieira – Metro Jornal

Décima candidatura mais votada em São Paulo com 149,8 mil votos, a Bancada Ativista elegeu apenas um nome nas urnas, mas vai entrar na Assembleia Legislativa de São Paulo com nove deputados.

Capitaneado por Mônica Seixas – a candidata oficial –, o grupo compõe o primeiro mandato coletivo eleito para o parlamento paulista.

Nestas candidaturas, o mandato é exercido pelo deputado eleito, mas que se compromete a representar o coletivo e discutir as propostas, se posicionar e votar nos projetos de lei a partir da reunião das ideias de todos os participantes, que dividem as tarefas do mandato.

A Bancada Ativista se define como suprapartidária, mas como a Justiça não permite candidaturas independentes, se associou ao Psol.

A gente sabe que a Assembleia é conservadora na ideia de pensar política. Talvez, para alguns pares, seja uma estranheza, mas vamos vencer qualquer problema no diálogo” afirmou ao Metro Jornal a codeputada Erika Hilton.

Segundo Chirley Pankará, também codeputada, o parlamento “está saturado de questões individuais e o coletivo vem para atender demandas mais plurais”.

O grupo tem jornalista, professora, pedagoga, artista e reúne militantes que lutam por diversas causas, como as questões que envolvem índios, negros e LGBTs, meio ambiente, maternidade e cultura.

A candidatura foi quase toda bancada por financiamento coletivo. Dos R$ 70 mil angariados pelo grupo, R$ 64 mil vieram de doações pela internet, o que reforça, de acordo com a Bancada Ativista, que é possível fazer política com participação popular.

A ideia é que o gabinete seja um palco de reuniões, em que os temas serão abordados e discutidos coletivamente. As formas como vão dividir os recursos do mandato e o salário de deputado ainda serão definidos, “da forma mais justa e honesta”, segundo Erika.

coletivo - quem é quem Reprodução
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo