Eleições 2018: Filho de Bolsonaro bate recorde de votos de Enéas

Por Metro Jornal

As eleições trouxeram números históricos no estado de São Paulo. O policial federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), se tornou o deputado federal mais votado da história do país.

Até a meia-noite de ontem, com 99,99% das urnas auferidas, o candidato tinha 1.843.715 votos, equivalente a 8,74% dos votos válidos no estado. Com o número, o candidato ultrapassou o recorde de Enéas Carneiro (Prona-SP), que obteve 1.573.642 votos nas eleições de 2002. Depois de Enéas, o deputado federal que obteve mais votos no país foi Celso Russomanno (PRB-SP), com 1.524.361 votos nas eleições de 2014.

Em seguida no ranking de deputados federais mais votados em São Paulo, estavam a jornalista Joice Hasselmann (PSL), com 1,07 milhão de votos, e Celso Russomanno, com 521 mil.

Aparecem ainda na lista dos candidatos mais votados: Kim Kataguiri (DEM), Tiririca (PR), Tabata Amaral (PDT), Policial Katia Sastre (PR), Sâmia Bomfim (Psol), Capitão Augusto (PR) e o Pastor Marco Feliciano (Pode) (veja números ao lado).

Tiririca

Eleito com mais de 1 milhão de votos em 2010 e 2014, Tiririca viu sua votação se reduzir bastante: ele obteve o equivalente a 2,15% dos votos e foi o 5º mais votado nas eleições, sendo reeleito com 453,8 mil votos. No ano passado, Tiririca chegou a dizer que não se candidataria mais ao cargo por estar “decepcionado com a Câmara”. No entanto, o humorista acabou voltando atrás.

Por causa de efeitos como o de Tiririca, Enéas e Celso Russomanno em anos anteriores, cuja votação impulsionou a eleição de candidatos com votação pífia, a lei eleitoral deste ano prevê uma barreira: para ser eleito, o postulante a uma cadeira de deputado precisa ter um mínimo de votos. A regra ficou informalmente conhecida como “cláusula Tiririca”.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo