Eleições 2018: Bolsonaro e Haddad se enfrentam no segundo turno

Por Metro Jornal

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputarão, em 2º turno, quem será o 38º presidente do Brasil a partir de 1º de janeiro de 2019 em substituição a Michel Temer (MDB). Entre os 13 concorrentes, os dois presidenciáveis foram os mais votados nas eleições de ontem. Bolsonaro teve 46,05% dos votos válidos. Haddad somou 29,25% –  a 0h com 99,89% das urnas apuradas. Os brasileiros voltam às urnas no dia 28.

Foi a primeira vez, após seis eleições consecutivas ou 24 anos, que a polarização PT-PSDB não se repetiu. Geraldo Alckmin (PSDB) ficou apenas na quarta colocação, com 4,79% dos votos. O tucano apostou numa ampla aliança com nove partidos e no tempo de TV, mas não teve sucesso.  O apoio do Centrão é um ativo e é o foco da candidatura de Bolsonaro. Os caciques do bloco partidário irão divididos para uma reunião amanhã, quando definirão em qual palanque irão subir.

Em terceiro lugar ficou Ciro Gomes (PDT) – 12,51%% dos votos – que não conseguiu ser bem-sucedido na estratégia de herdar votos úteis e convencer os apoiares de Haddad a trocar de opção na última hora. A hashtag “vira-vira Ciro” chegou a ser o tema mais comentado no Twitter no país. Os eleitores do candidato do PDT são os alvos de Haddad para chegar à vitória.

Candidata à presidência pela terceira vez, Marina Silva ficou apenas na oitava colocação com pouco mais de 1 milhão de votos, bem abaixo dos 22.154.707 de votos conseguidos em 2014, quando ficou com o terceiro lugar.

A ex-senadora foi superada por João Amoêdo (Novo), que teve 2,6 milhões de votos; Cabo Daciolo (Patri), 1,3 milhão; e Henrique Meirelles (MDB), 1,2 milhão.

Disputa nos estados

Bolsonaro foi o mais votado  em 16 estados e no Distrito Federal. Haddad venceu em  oito estados do Nordeste – Alagoas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe – e no Pará. Ciro saiu vitorioso no seu berço político, o Ceará.

O capitão de reserva do Exército abriu a maior vantagem em Santa Catarina, onde teve 65,82% dos votos válidos, contra 15,13% do candidato do PT. Haddad teve a votação mais expressiva no Piauí, 63,12% contra 18,94% de Bolsonaro.

Pós-resultado

Ainda se recuperando da facada, Bolsonaro usou as redes sociais para fazer uma declaração e voltou a questionar a confiabilidade das urnas eletrônicas. “Tenho certeza se esse problema não tivesse ocorrido, se tivesse confiança no sistema eletrônico, já teríamos o nome do novo presidente”, disse.

Haddad falou de um hotel em São Paulo e afirmou que na campanha buscará “unir os democratas do país”. “Essa eleição incomum coloca em risco o próprio pacto da Constituinte”, disse.

Cronograma

Bolsonaro e Haddad podem fazer campanha nas ruas a partir de amanhã. O horário eleitoral começa 48 horas após o anúncio oficial do resultado da eleição pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), previsto para hoje.  Cada candidato terá direito a 10 minutos diários em cada bloco para apresentar as propostas. Os horários serão às 7h e às 12h, no rádio, e às 13h e às 20h30, na televisão.

Os dois presidenciáveis devem participam ainda esta semana no primeiro debate da disputa pelo segundo turno, que será na TV Band, quinta ou sexta.

Leia também:
Eleições 2018: Onde justificar voto em São Paulo?

Veja o resultado do primeiro turno:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 46,46%
  • Fernando Haddad (PT): 28,69%
  • Ciro Gomes (PDT): 12,52%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 4,80%
  • João Amoêdo (Novo): 2,55%
  • Cabo Daciolo (PATRI): 1,26%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1,21%
  • Marina Silva (Rede): 1%
  • Alvaro Dias (PODE): 0,82%
  • Guilherme Boulos (Psol): 0,58%
  • Vera Lúcia (PTSU): 0,05%
  • Eymael (DC): 0,04%
  • João Goulart Filho (PPL): 0,03%
  • Brancos: 2,66%
  • Nulos: 6,12%
  • Abstenção: 20,32%
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo