Governo de São Paulo: candidato responde leitor

Por Metro Jornal

Leia abaixo a respostas de candidatos a questões feitas por três leitores do Metro Jornal

1 – O que o sr. pretende fazer nos próximos anos para motivar pessoas a permanecerem em São Paulo, acreditando que o estado vai melhorar e recompensar trabalhadores com serviços públicos de melhor qualidade, principalmente segurança e transporte público? (Alfredo Mello)

Paulo Skaf MDB André Porto/Metro

Skaf:
São Paulo tem um padrão de serviços públicos aquém do que o paulista merece e o estado pode oferecer. A segurança pública está abandonada. Vou equipar, modernizar e integrar o trabalho das nossas polícias. Hoje, grande parte do efetivo policial está envolvido em serviços burocráticos. A Polícia Militar precisa estar na rua e a Polícia Civil precisa investigar. Em relação à mobilidade urbana, vou fazer um amplo projeto de investimentos, de forma a aumentar o número de conexões da rede e equilibrar a quantidade de passageiros nas estações. Vou expandir 50 km no mandato de quatro anos e criar as condições para que as obras sigam futuramente no mesmo ritmo. Vou investir na modernização da CPTM, levando a qualidade do serviço o mais próximo possível do Metrô.

Márcio França André porto/metro

Márcio França:
Para reduzir a criminalidade, eu vou valorizar os policiais, que estão sem aumento há quatro anos, investir em tecnologia, com câmeras, treinamento e inteligência. Uma medida que já tomei foi reabrir as 66 delegacias que estavam fechadas à noite, porque o crime não escolhe horário para acontecer. Além de coibir o crime, a gente precisa dar aos moradores de São Paulo a sensação de segurança. Com o alistamento civil voluntário, vamos dar oportunidades aos jovens, para evitar que eles entrem para o crime. Eles recebem uma bolsa-auxílio de R$ 500 e são obrigados a fazer um curso técnico e trabalhar em serviços públicos no seu município. O transporte também vai melhorar. Vou trabalhar firme para acabar com as falhas da CPTM e construir mais 100 km de linhas do Metrô.

Luiz Marinho PT André porto/metro

Luiz Marinho:
Prezado leitor, para que São Paulo cresça, nossa prioridade absoluta é a geração de empregos, além da recuperação do poder de compra das pessoas. Na área de mobilidade urbana, retomar a ideia original dos governos do PT de transporte único integrado, recriando em novas bases o Bilhete Único mensal válido para todos os modais. Para a área de segurança, nossa política será baseada na promoção, garantia, ampliação de direitos e valorização dos profissionais das Polícias Civil e Militar. Vamos desenvolver políticas públicas de prevenção à violência, reforçando a presença do estado nas periferias com políticas públicas, esporte, cultura, lazer, geração de emprego e renda. Aumentar o efetivo policial nas ruas e investir em inteligência, tecnologia e estrutura moderna.

2 – O nível das escolas de São Paulo vem sendo muito criticado, desde a baixa qualidade de ensino até a falta de valorização dos professores. O que o sr. pretende fazer para melhorar a educação nas escolas de ensino fundamental e médio? (Fábio Pereira da Silva)

Skaf:
Quando assumi a presidência do Sesi, em SP, meu sonho era que todos os alunos tivessem educação em tempo integral de qualidade. Esse sonho eu realizei. Hoje as redes Sesi e Senai são exemplos de excelência em educação. Agora, quero dar aos alunos da rede estadual de São Paulo essa mesma excelência em educação. Pretendo implementar um plano gradual para a universalização do ensino em tempo integral nos anos iniciais do fundamental, nos moldes que fiz no Sesi. O ensino médio também vai mudar. A ideia é uni-lo ao técnico, fazendo com que o jovem ao final do curso receba um diploma e ainda ganhe uma profissão. As Etecs e Fatecs devem ainda ser modernizadas e os cursos oferecidos, adequados à realidade do mercado da região onde as unidades estão instaladas.

Márcio França
Para a primeira infância, vamos dar uniformes a todos os alunos a custo zero e acabar com fila de creches: 300 unidades já foram entregues no estado, outras 330 estão sendo construídas e mais 650 serão feitas. No ensino médio, vamos promover uma revolução, com tecnologia em sala de aula e valorização dos professores. Nosso objetivo é dinamizar as aulas, com lousas digitais. A partir do ano que vem, os alunos poderão ter dupla formação no ensino médio, com diplomas do ensino regular e de um curso técnico. Terão ainda a garantia de acesso gratuito e sem vestibular ao ensino superior por meio da Univesp, com cursos de USP, Unicamp e Unesp. Hoje, quase 50 mil alunos estudam à distância pela Univesp, mas vou levar esse número para 200 mil.

Luiz Marinho
Prezado leitor, o nosso governo vai dobrar o piso salarial dos professores da rede pública nos primeiros quatro anos de gestão, alcançando R$ 4.466,00. Trará de volta ao sistema de ensino, já no primeiro ano de gestão, os 298 mil jovens excluídos por conta das deficiências e precariedades da estrutura escolar. Será adotado um novo padrão arquitetônico nas escolas, com equipamentos esportivos e de cultura. Será dada também atenção prioritária à educação inclusiva em todos os níveis do ensino, com atendimento especializado aos alunos com deficiência. Vamos triplicar o número de alunos na educação integral. Nosso governo vai implementar a política de cotas no acesso ao ensino superior, para alunos das escolas públicas, negros, pardos e indígenas.

3  – Em nossas escolas e cidades são escassas as oportunidades de acesso à cultura pela população. Quais são suas propostas para fomentar as atividades culturais em nosso estado? (Vinícius Souto)

Skaf:
Vou aprimorar os instrumentos existentes e desenvolver novos mecanismos de fomento à arte e cultura. Vamos promover atividades culturais e shows nos bairros, com respeito aos vizinhos e à lei do silêncio, além de valorizar a Fábrica de Cultura e incentivar a produção artística com a democratização e desburocratização do Proac. Está no nosso projeto o apoio ao empreendedorismo na cultura, para estimular a geração de renda pela economia criativa. Vou aumentar cursos técnicos no campo da arte e da cultura, ampliar vagas de graduação e pós nas áreas relacionadas às linguagens artísticas e ao patrimônio cultural. Quero também promover Rodadas de Negócios entre financiadores e agentes culturais. Outra frente em que atuaremos é a preservação do patrimônio.

Márcio França:
As atividades culturais, assim como as esportivas, promovem de forma rápida o resgate da autoestima das pessoas e geram empregos. Vou dobrar o Orçamento para a área e levar apresentações de circo, teatro e exibições de cinema a 800 teatros que não estão sendo usados nas mais de 5 mil escolas da rede estadual. Vamos abri-los para estudantes e comunidade. Estamos pagando ingressos e transporte para levar alunos da rede estadual a museus, cinemas e teatros das cidades; 30 mil estudantes já foram beneficiados e pretendo levar 100% dos matriculados no ano que vem. Será expandida a Fábrica da Cultura, que hoje tem 10 unidades e vai ganhar uma nova em Diadema. Nesse local, é possível assistir a cinema, teatro, dança, música e fazer cursos e oficinas culturais.

Luiz Marinho:
Prezado leitor, o meu governo vai adotar ações que promovam amplo acesso da população aos bens culturais, sem exclusão cultural. Programa de inclusão das culturas afro-brasileira africana e indígena na educação básica. Pretendemos descentralizar o Orçamento da cultura por meio de editais regionais. Vamos investir, ao menos, 2% do Orçamento na cultura.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo