Conheça o Gás Natural Veicular, opção para economizar no abastecimento

Por AutoPapo.com.br

Com a constante alta dos combustíveis, os motoristas estudam possibilidades de economizar. A adaptação o carro para utilizar o Gás Natural Veicular (GNV) é uma das mais procuradas, mas diversos fatores devem ser levados em conta.

O primeiro é mais importante é quando vale a pena instalar o kit GNV. O preço do metro cúbico (m³) do gás é mais barato do que o litro dos demais combustíveis. Mas o motorista deve considerar outros gastos quando resolve instalar o GNV. Colocar um kit tem um custo médio de R$ 2.800 (para os kits de 2ª e 3ª geração – em veículos fabricados até 2007) e cerca de R$ 5 mil para os kits de 5ª geração, com injeção eletrônica de gás natural (veículos fabricados depois de 2007).

Um motorista brasileiro (considerando o valor médio dos combustíveis apurado pela ANP) que anda 3.000 km por mês em um carro que faz 8 km/l com gasolina tem um custo de R$ 0,58/km com gasolina e R$ 0,29/km com GNV. Entretanto, essa é uma média de quilometragem alcançada, em geral, por veículos utilizados profissionalmente, como táxis. Em um ano, a economia representa R$ 10.561, mais do que o valor da instalação de um Kit GNV.

Na verdade, a média mensal de um carro particular é de cerca de 1.000 quilômetros por mês e, portanto, as contas são bem diferentes. A economia total gira em torno de R$ 3.520. Nesse caso, serão necessários pelo menos 18 meses para se ter o retorno do investimento com o Kit. É importante lembrar que além da instalação, outros gastos também estão ligados ao GNV, como as revisões do cilindro, a mão de obra e o registro no Detran.

Cuidados

Para garantir o funcionamento perfeito do carro e evitar danos ao sistema de injeção eletrônica de combustível líquido do veículo, é preciso manter um pouco de gasolina ou etanol no tanque. O reservatório de partida a frio também deve ser mantido com gasolina.

Rogério Gonçalves, diretor de combustíveis da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, afirma que os sistemas mais modernos de injeção de gás têm uma pequena injeção de combustível líquido contínua. Isso para manter o sistema de alimentação lubrificado e a limpeza de válvulas em dia. O especialista acrescenta que o combustível batendo em cima da válvula provoca limpeza. Para que isso seja feito com mais eficiência, o ideal é utilizar a gasolina aditivada.

Sem gambiarra!

Se a instalação do kit GNV for feita de acordo com as normas, não há risco de explosão. Quem garante é Rogério Gonçalves, diretor de combustíveis da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva. É preciso, no entanto, manter a manutenção do veículo em dia.

Para sua segurança, observe se o cilindro a ser instalado é de aço e não tem soldas. Realize o “reteste” do cilindro a cada cinco anos. Ao notar qualquer defeito ou vazamento, leve o veículo à instaladora homologada.

De acordo com engenheiro Luís Henrique Verginelli, os acidentes que envolvem carros a gás estão ligados a modificações realizadas sem conformidade com a lei ou a norma vigente. “O combustível (GNV) e o sistema são seguros”, garante.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo