Impugnação de candidatura de Lula repercute no exterior

Por ANSA

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de impugnar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência nas eleições de outubro no Brasil repercutiu na imprensa internacional neste sábado (1). O jornal "La Nacion", da vizinha Argentina, chamou a candidatura de Lula de "polêmica" e comentou que a decisão do TSE "encerra as especulações" sobre o petista.

"Já passava da meia-noite, em uma sessão extraordinária em Brasília que se estendeu por mais de 10 horas, a maioria do TSE, por seis votos contra um, decidiu impugnar a polêmica candidatura do líder máximo do PT ao considerar que ia contra a legislação que proíbe que uma pessoa condenada em segunda instância concorra a um cargo eletivo", escreveu o jornal.

Leia mais:
PT diz que vai recorrer da decisão que impediu candidatura de Lula
TSE nega candidatura de Lula à presidência

Na Itália, o "La Repubblica" destacou que, "durante a longa sessão do TSE, os magistrados se convenceram de que não há dúvidas quanto ao fato de Lula ficar inelegível com base na 'lei da ficha limpa"", e que o único ministro que votou a favor do petista, Edson Fachin, "se fez com base na carta do Comitê de Direitos Humanos da ONU que pedia o direito de Lula de se candidatar até que todos os recursos de sua condenação fossem votados".

Já o "Corriere dela Sera" afirmou que, apesar da decisão do TSE, Lula "continua sendo o mais amado pelo voto", liderando as pesquisas de intenção de voto. "A esquerda agora se encontra sem um candidato e o país corre o risco de cair nas mãos de um perigoso fascista como o ex-militar Jair Bolsonaro", ressaltou o diário.

O francês "Le Monde", por sua vez, noticiou a decisão do TSE e relembrou o processo no qual Lula foi condenado a 12 anos de prisão pelo caso de um tríplex no Guarujá. O petista cumpre pena em Curitiba desde abril.

O "El País", na Espanha, comentou que a Justiça brasileira "estreitou o cerco legal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva praticamente até o limite".

A britânica "BBC" citou que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad deverá substituir Lula como candidato do PT às eleições de 7 de outubro à Presidência, enquanto o americano "The New York Times" disse que a decisão do TSE "aumenta a incerteza da corrida presidencial no maior país da América Latina, sem favoritos ao pleito".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo