Pulverizada, eleição terá 14 candidatos à Presidência da República

Por Marcelo Freitas – Metro Brasília

O 38º presidente do Brasil será conhecido entre 14 candidatos. É o segundo maior número de presidenciáveis desde as eleições de 1989, quando a disputa envolveu 22 políticos. Os postulantes ao Palácio do Planalto foram confirmados em convenções partidárias e têm até o dia 15 para registrar a candidatura.

MDB, PPL, Patriota, Novo, PSTU e PCdoB terão chapa pura. O PT tem até esta segunda-feira (6) para anunciar candidato a vice. PSB e PMN não vão subir em palanques nacionais. O PMB não havia definido posição até o fechamento desta edição.

Novidades

A 8ª eleição pós-redemocratização é a primeira majoritária com a proibição de doações de recursos empresariais. É uma redução significativa no valor das campanhas, mas ainda com cifras bilionárias.

Este ano, os candidatos terão que se desdobrar para conseguir recursos para a campanha. A lei eleitoral inovou ao permitir as “vaquinhas virtuais”, mas houve um esforço extra do Congresso, que garantiu, além dos R$ 888 milhões do fundo partidário pago todo ano, mais R$ 1,7 bilhão de um novo “fundo eleitoral”. Ao todo, serão R$ 2,58 bilhões de recursos públicos disponíveis para os 35 partidos. Só para efeito de comparação, a caça aos votos das eleições de 2014 custou R$ 4,92 bilhões.

As campanhas também serão mais curtas. A partir de 16 de agosto, serão 45 dias de exposição oficial dos candidatos, metade do período das eleições de 2014. O tempo menor aumentou a importância das alianças, que garantirão mais tempo no rádio e televisão. Os candidatos à Presidência dividirão 12 minutos e 30 segundos por dia, além de inserções diárias ao longo do dia.

Os brasileiros vão às urnas para escolher presidente, governador, dois senadores, um deputado federal e um deputado estadual, ou distrital, no caso do Distrito Federal.

Calendário

9 de agosto – Debate da TV Band com candidatos a presidente
15 de agosto – Fim do prazo para registro de candidaturas
16 de agosto – Início da campanha eleitoral
31 de agosto – Início do horário eleitoral gratuito em rádio e televisão
9 de setembro – Data da primeira parcial da prestação de contas
17 de setembro – Prazo final para impugnação de candidaturas pelo TSE
22 de setembro – A partir desta data, nenhum candidato pode ser preso, apenas em flagrante
2 de outubro – A partir desta data, nenhum eleitor pode ser preso, apenas em flagrante
4 de outubro – Fim do horário eleitoral gratuito em rádio e televisão e do prazo para comícios e participação em debates
7 de outubro – Primeiro turno das eleições
11 de outubro – Debate da TV Band com candidatos a presidente
12 de outubro – Início do horário eleitoral gratuito em rádio e televisão do 2º turno
26 de outubro – Fim do horário eleitoral gratuito em rádio e televisão do 2º turno
28 de outubro – Segundo turno das eleições

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo